sexta-feira, dezembro 14, 2007

O velório da CPMF

Conclamo a nação a comparecer ao velório daquela que conviveu conosco, diariamente, por 14 anos. Uma convivência como esta não pode ter um fim silencioso. E não teve. As viúvas da CPMF deram um vexame em seu leito de morte. Agora, é a nossa vez de tripudiar sobre seu corpo recheado com o nosso dinheiro.

A CPMF nem foi enterrada ainda e o governo já ameaça os seus algozes: nós! Nós, que tanto alimentamos este parasita, agora seremos penalizados por não admitirmos mais contribuir com esta mesa farta que serviu de banquete apenas ao governo. Nós, que fomos obrigados a pagar por um benefício na saúde e continuamos com os hospitais públicos à míngua e a falta de medicamentos. (continua...)

(charge: PATER de A Tribuna-ES)

quinta-feira, dezembro 13, 2007

Terroristas na tribuna

Os senadores petistas deram um show de desespero na votação da prorrogação da CPMF, na noite de quarta-feira(12/12). Quem acompanhou as quase oito horas de votação viu narinas estufadas, murros, berros e, principalmente, ameaça atrás de ameaça. Não há como eleger o pior dentre eles, mas o discurso do senador Aloísio Mercadante (PT-SP) (foto), pela sua oratória fluente, para mim, foi o mais assustador.

Diziam os "terroristas-senadores-petistas-pró-CPMF" que, sem a contribuição, o pobre que necessita do Bolsa Família seria prejudicado. Diziam, também, que a saúde e a previdência virariam um caos.
Horas depois, o senador Romero Jucá (PMDB-RR) (foto) leu uma carta enviada pelo presidente Lula em que Lula se compromentia a aplicar 100% da CPMF na saúde.

Ora, se é possível aplicar 100% da CPMF na saúde, então quer dizer que, sem ela, o Bolsa Família e a Previdência caminhariam sem problema? Quer dizer que o corte da CPMF nunca foi um risco para as "políticas sociais" do governo?

Com este discurso ameaçador e chantagista, o governo só deu mais provas de que - além de incompetente - não tem o mínimo de caráter. Mantém o povo refém em troca de R$ 40 bilhões por ano.

O pior é que, este povo com a faca apontada para a sua garganta é, nada menos, do que o próprio eleitor de Lula: os menos favorecidos de renda, educação, moradia, informação e esperança que, na falta de emprego e política social séria, precisam de um Bolsa Família para sobreviver.

E é este o povo que foi ameaçado pelo Governo. E é este povo que vai continuar pagando a conta porque, quem acha, que sem a CPMF, Lula e sua corja diminuirão os seus gastos, enganha-se completamente.
A CPMF tinha que acabar, assim como os gastos extravagantes deste governo também têm. Finalmente, a oposição mostrou que, quando quer, sabe fazer. Então, que continue segurando as rédeas deste país para que ele não naufraque nas futuras atitudes deste governo, que fará de tudo para punir o povo em troca dos R$ 40 bilhões da CPMF.
(fotos: Agência Senado)

domingo, dezembro 09, 2007

Escola de samba: festa com milhões da Petrobrás

A Petrobrás vai investir R$ 12 milhões, por ano, nas escolas de samba do Grupo Especial, do Rio de Janeiro. Nunca antes, na história deste país, um governo teve tanto dinheiro nas mãos a ponto de designar esta bolada para escolas de samba.

As escolas de samba proporcionam uma festa de quatro dias, enquanto outras escolas deveriam proporcionar educação durante o ano inteiro. Hospitais deveriam proporcionar atendimento digno durante o ano inteiro. Os medicamentos gratuitos deveriam estar à disposição do povo o ano inteiro. As estradas deveriam estar pavimentadas e devidamente sinalizadas no país todo.

Mas não. Tudo pelo Carnaval. Tudo pela festa que lota o Rio de Janeiro com turistas de todo o canto do país e do mundo. O país precisa de festa para achar que vive num paraíso. O povo precisa de alegria, e não de educação.

Pior, ainda, é a alegação de que esta "doação" vai livrar as escolas de pegar dinheiro ilícito e que, com mais verba, as escolas poderão doar mais fantasias às comunidades. A quem estão querendo enganar? A quem estão querendo comprar? Os integrantes das escolas de samba? O governador do Rio de Janeiro? Os milhares de empregados que conseguem uma boquinha durante o Carnaval?

A Secretaria Estadual do Trabalho, do Rio de Janeiro, diz que são 500 mil empregos direitos para a folia. Eu acredito. São costureiras, bordadeiras, marceneiros, artistas plásticos, músicos, sem falar na hotelaria, bares, etc. Que ótimo! Porém, doar R$ 12 milhões para as escolas de samba do Grupo Especial é uma aberração! O Carnaval de Salvador, por exemplo, deveria exigir o seu pedaço do bolo, assim como o de Recife, de Olinda e de todas as cidades que atraem turistas nesta época do ano.

É preciso parar com este desperdício com o nosso dinheiro! Os defensores deste governo populista dirão que nem é tanto dinheiro assim, pois representa apenas R$ 100 mil por mês. Além do que, é uma festa popular! "A elite não gosta que os pobres se divirtam."

Bobagem! Estupidez! Ignorância! É por isso que a sociedade não vai amadurecer nunca. É por isso que Lula está com a aprovação nas alturas. E é por isso que nunca seremos um país de primeiro mundo.

O governo aplica menos de 1% do que arrecada. Também, pudera, não sobra dinheiro para investimento! O negócio é aumentar o número de funcionário público e distribuir recursos em ações populares.

Viva o Lula! Viva o Carnaval! Viva a Copa do Mundo!

sexta-feira, dezembro 07, 2007

Prêmio merecido

O Prêmio Esso de 2007 foi entregue, nesta terça-feira (4/12), a 14 trabalhos jornalísticos.
Não desmerecendo os outros, pois não os conheço, pelo menos dois deles têm a minha aprovação.

Voto combinado na Corte Suprema (foto) foi o grande vencedor, levando o Prêmio Esso de Jornalismo 2007. Para quem não se lembra do título, é o flagrante que os profissionais do jornal O Globo fizeram no primeiro dia do julgamento dos mensaleiros, no STF.

As mensagens trocadas entre os ministros Cármen Lúcia e Ricardo Lewandowski (foto), deram o prêmio os jornalistas Roberto Stuckert Filho, Alan Gripp e Francisco Leali. Merecido!

Parabéns a esta equipe que teve o faro jornalístico. Particularmente, não vejo nas mensagens nenhuma violação por parte dos ministros.

Conversar durante um julgamento, e principalmente conversar sobre ele enquanto ele acontece é natural. As observações sobre o ministro Eros Grau poderiam até causar um certo incômodo, porém, também não é nada de mais, levando em consideração que é aceitável que colegas falem sobre colegas. O feeling dos jornalistas de registrar a conversa em uma foto é que foi genial!

Contas Abertas, o site que fiscaliza os gastos do Governo também foi premiado como Melhor Contribuição à Imprensa em 2007. O site é fonte obrigatória de informação para quem quer ficar por dentro do que estão fazendo com o nosso dinheiro. Fundado em 9 de dezembro de 2005, Dia Internacional de Combate à Corrupção, o Contas Abertas já contabiliza mais de 5 milhões de acessos.

quarta-feira, dezembro 05, 2007

Vitória de merda

Pouca gente achava que Hugo Chávez iria aceitar assim tão fácil a derrota da nova Constituinte no referendo de domingo (2/12), na Venezuela. Quem aplaudiu Chávez pelo seu discurso manso após a derrota, começa a perceber o óbvio. Chávez não vai entregar nada facilmente. Hoje, a face mais conhecida do ditador, avançou sobre o microfone classificando o resultado das urnas como "vitória de merda".

Chávez joga b... em metade da população do país ao rejeitar o fato de que ele não tem unanimidade e que a sociedade, quando protegida, tem força e voz. Chávez avisou que poderá colocar as mudanças na Constituição de volta à apreciação popular. Como a mesma proposta não pode ser votada novamente, Chávez já tem a solução: basta que o Parlamento ou a sociedade apresente um projeto, mesmo que seja um resumo do dele ou semelhante.

Essa história, como eu previa, não vai acabar muito bem. Na Bolívia, índios Ponchos Vermelhos fizeram a degola de cães, no dia 22 de novembro, como ameaça aos opositores de Evo Morales. Os cachorros degolados vivos simbolizavam os "fazendeiros que não querem a mudança no país", disse um dos dirigentes à agêncida de notícias Efe.

Deputados da base aliada aprovaram, a portas fechadas dentro de um quartel militar, as mudanças na Constituição sugeridas por Morales. A oposição, minoria no Parlamento, não pôde participar da votação. As manifestações contrárias às reformas terminaram em quatro mortos e dezenas de feridos.

Nada disso vai acabar bem.

Tem que ser amigo do Rei

Você já deve ter reparado que de nada adianta fazer passeatas e protestos. A violência não diminuiu, a corrupção muito menos, a saúde não melhorou e nada do que foi reivindicado pela sociedade, através de manifestações, foi atendido. Isso, porque a sociedade não é amiga do Rei. Se fosse, teria conseguido tudo. Esta é a lição que os sindicalistas estão nos ensinando.

As centrais sindicais se movimentaram por causa da contribuição sindical obrigatória, que teve a obrigatoriedade suspensa na Câmara dos Deputados. O movimento deu resultado. Quando o projeto de lei que regulamenta as centrais foi para votação no Senado, a obrigatoriedade voltou a ser como era antes, ou seja, ainda estamos obrigados a dar um dia do nosso salário ao sindicato. Isso, para os privilegiados que trabalham com carteira assinada, claro.

Nesta quarta-feira (5/12) outro gritinho dos sindicalistas colocou o presidente Lula de prontidão para atender ao clamor de seus companheiros. As centrais sindicais fizeram, em Brasília, a 4ª Marcha da Classe Trabalhadora, (foto) que tem como lema Mais e Melhores Empregos, com a participação de cerca de 10 mil filiados.

Depois da Marcha, os dirigentes se reuniram com ninguém menos do que o próprio Lula. O presidente prometeu enviar ao Congresso um projeto que dificulta a demissão por justa causa. Pela proposta, o empregador só poderá demitir um funcionário mediante explicação justa, como problema financeiro, por exemplo. Mesmo assim, terá que provar os seus argumentos.

Outro "avanço" seria para os servidores públicos que passarão a contar com um representante de classe que possa negociar por eles, o que hoje não é possível.

Portanto, minha gente, não adianta espernear, gritar, fazer protestos nem passeata. O negócio é ser amigo do Rei. De quebra, você ainda pode ganhar uma boquinha no Governo. Vários ex-sindicalistas ocupam cargos importantes no governo Lula. Os salários vão de R$ 3.600 a R$ 44.000. Basta se filiar a um dos 11 mil sindicatos pelo país.
(foto: Sergio Dutti/AE)

O Brasil é para os espertos

Neste país, não há espaço para os dignos e honestos. Cada centímetro desde Brasil está sendo ocupado pela corja que, mediante acordos, manobras, esperteza legal e bom relacionamento consegue o que quer. Mesmo que isso signifique o linchamento moral. Aliás, moral é o que menos importa. A saída pela tangente que o ex-deputado, Ronaldo Cunha Lima (foto), encontrou para se livrar do julgamento por homicídio, no STF, apesar de revoltante, é legítima.

Cunha Lima só estava sendo julgado pelo STF por ser um parlamentar. A partir do momento que renunciou ao mandato, tornando-se um cidadão comum, o processo contra ele teve que ser remetido para a justiça comum. A decisão final saiu agora há pouco, no Supremo Tribunal Federal. Por sete votos a quatro, os ministros decidiram que o caso não compete mais ao Supremo.

Passados exatos 14 anos do crime, Cunha Lima será julgado pelo tribunal de João Pessoa, na Paraíba. Em seu favor, está a lentidão da justiça que pode empurrar o processo até 2012, quando o crime será prescrito.

Cunha Lima esperou o quanto pôde para renunciar ao mandato. Esperou até cinco dias antes de ser julgado para sair pela porta dos fundos. A manobra do ex-deputado só revolta as pessoas de bem, como a família do ex-governador, Tarcísio Miranda Burity, morto com dois tiros disparados pelo ex-deputado. Cunha Lima confessou ter atirado contra Burity, mas disse que não premeditou o crime. Alegou que sofria ameaças de Burity, seu antecessor no governo da Paraíba.

A impunidade é a sombra dos criminosos que, munidos de excelentes (e caros) advogados, da Lei tudo extraem em benefício próprio.

terça-feira, dezembro 04, 2007

Começa a disputa pelo sucessor

Ri, Renan, pode rir. Todos nós sabemos que tudo é uma palhaçada, mesmo. O processo, a sessão, tudo tão orquestradamente combinado que chega a ser patética a atuação dos senadores na Tribuna. Senadores que, em frente às câmeras tinham um discurso duro de moral e ética. Fora delas, 48 absolveram Renan, 29 pediram a cabeça do senador e 3 preferiram não botar a mão na cumbuca.

Ri, Renan, pode rir. Todos nós sabemos que tudo era mera formalidade. O resultado já havia sido combinado antes: você renuncia, a gente livra você. E assim foi. Agora começa a corrida pela sucessão de Renan ao trono. Por enquanto, continua Tião Viana (PT-AC) no comando do Senado. Mas não por muito tempo.


Talvez mais do que o regimento determina. O Senado teria cinco dias para eleger um novo presidente do Senado. Tião Viana, porém, já disse que o prazo pode se estender até que os líderes dos partidos apresentem os candidatos. Viana vai se reunir com os líderes na próxima terça-feira (11/12), teoricamente, um dia antes da eleição. É óbvio que ela não vai sair na data esperada.


O PMDB, com maioria no Senado (20 dos 81 senadores), garante que o direito é dele e já tem os preferidos: Valter Pereira (MS), Neuto de Conto (SC) e Garibaldi Alves Filho (RN). Porém, mesmo dentro do PMDB há os da oposição.


O PSDB á sinalizou que pode apoiar senadores da ala oposicionista do PMDB para concorrer à presidência, como o senador Pedro Simon (RS) e Jarbas Vasconcellos (PE). Aqueles que foram escurraçados da CCJ.


Enquanto isso... longe das acusações, dos holofotes e da pressão pela renúncia, Renan Calheiros ri para nós e de nós. E ele está certo. Esse Senado é mesmo uma palhaçada. Caso contrário, Renan já teria sido cassado no primeiro processo que continha provas até da Polícia Federal de que Renan mentiu na declaração do imposto de renda.


Mas, estamos no Brasil onde a vida política de Renan e a saúde do Congresso não são importantes. O que importa agora é saber quem subirá no trono para negociar a CPMF.


Pouco depois da sessão, o senador Garibaldi Alves disse "Acredito que na quarta-feira, se Deus quiser, vocês me verão ali." Lula já disse que Deus é brasileiro, só não disse de que lado do Brasil ele está. É esperar pra ver.

Como combinado

Gato escaldado tem medo de Renan.


Desta vez os senadores provavelmente condicionaram à absolvição de Renan à renúncia do cargo. Também, pudera, depois de virar às costas para os colegas e sapatear com arrogância em cima do Senado Federal, só mesmo depois que ele renunciasse ao cargo para livrá-lo da cassação.


Se tudo correr como acordado, Renan será absolvido mais uma vez, mais uma vez, mais uma vez.

PT colhe assinaturas por terceiro mandato


Por mais que o presidente Lula diga que não quer que se mexa na Constituição para aprovar um terceiro mandato ou até reeleição por tempo indeterminado, o fato é que tudo parece uma encenação, pois o PT lançou, neste domingo (02/12), uma campanha oficial para mudar a Constituição. A notícia foi publicada no site do PT na quinta-feira, dia 29 de novembro. (continua...)

segunda-feira, dezembro 03, 2007

Chávez derrotou Chávez

A vaidade é mesmo o maior inimigo do homem. Quando Chávez chamou a atenção para si com os seus discursos e atitudes absurdas, atraiu a atenção e - diferente do que ele intencionava - com os holofotes sobre ele, perdeu o referendo.
Um povo isolado não tem força. Um povo observado pelo mundo tem poder.

Com o mundo olhando para Chávez e sua nova Constituinte, os que até então não teriam como se manifestar passaram a ter um meio: a mídia.
O General Raúl Baduel, ex-ministro da Defesa e até a ex-mulher de Chávez foram à tevê pedir para que o povo não aceitasse as novas regras impostas por Chávez. Fortalecido e encorajado, o povo reagiu.

O resultado do referendo mostrou um país dividido (praticamente 51% contra as mudanças e 49% a favor), mas um país que não está perdido. Mostrou que o povo está disposto a lutar pela liberdade e democracia. E outro povo que igualmente está disposto a lutar por Chávez.

A Lei Habilitante, aprovada pela Assembléia Nacional em janeiro deste ano, deu a Chávez poderes especiais para governar por meio de decretos, em 11 áras até meados de 2008. Veremos se Chávez vai mesmo respeitar o desejo popular ou não. Ferramentas nas mãos ele tem para colocar de lado tudo isso e fazer o que bem entender.

Como o mandato de presidente, na presidência, é de sete anos, no poder desde 1999, Chávez, terá que deixar o poder em 2013.

Vivam os venezuelanos!

A Venezuela, corajosamente, disse "NÃO" aos sonhos megalomaníacos de Hugo Chávez. A nova Constituinte que dava superporderes ao Chávez deverá ser jogada no lixo. É uma ótima notícia para se começar o dia.
Ainda há esperanças neste canto de cá do mundo. Espelhem-se nos venezuelanos, povo brasileiro. Temos muitas coisas a dizer NÃO neste país.

Parabéns aos nossos vizinhos!
(foto: Yuri Cortez/AFP)

sábado, dezembro 01, 2007

Votou, ganhou!

Eleitor que comparecer às urnas poderá ganhar:
- consulta de graça com ginecologista;
- consulta de graça com urologista ou
- desconto de 5% a 15% em vários produtos à venda na sessão eleitoral, como livros e material de limpeza.
Gostou?

Que tal então:
- corte de cabelo;
- penteado;
- karaokê e
- costureira de graça?

Se preferir, tem também ingressos para jogos de hóquei no gelo, piscinas e teatro para toda a família. Já para os jovens, entrada de graça também em boates. Para os mais preocupados com a saúde, radiografia, eletrocardiograma, mamografia e exames de sangue.

Dependendo da região onde o eleitor morar, concorre a sorteios de computadores, geladeiras, máquinas de lavar e até apartamentos!

Por mais absurdo que possa parecer, isso está acontecendo, neste momento, nas diversas regiões da Russia. Tudo para garantir que Vladimir Putin emplaque seus deputados da "Rússia Unida", nas eleições de amanhã (02/12).

E prendem Kasparov por romper o bloqueio dos policiais durante um comício? Putin, o amigo de Chávez e Ahmadinejad, o grande democrático.

Revolta com os gastos do Governo

Passei os últimos dois dias (29 e 30/11) ouvindo advogados e professores da área de Direito falando sobre carga tributária, aumento nos gastos do governo, Leis Tributárias e tudo o que você possa imaginar sobre o ssunto, no 16o Simpósio IOB de Direito Tributário, em São Paulo.


Confesso que aprendi demais!!! Apesar de muitos torcerem o nariz para o assunto, não há como negar que seja de extrema importância para todos nós, pagadores de impostos, taxas e contribuições (além de caixa 2 de campanha, propina, pensão de ex-mulher de senador e coisinhas assim).

O que mais me chamou a atenção, porém, foi a revolta com que alguns dos palestrantes falavam quando citavam o presidente Lula e seu bando de incompetentes e esbanjadores do dinheiro público.

Enfim, leia aqui a matéria completa sobre o assunto, que está publicada no site Consultor Jurídico.

Chávez, um cara de sorte

As imagens da ex-candidata à presidência da Colômbia, Ingrid Betancourt (foto), me causam dois sentimentos. Emoção e desconfiança. Fico feliz por vê-la viva mas é inevitável pensar que tudo isso é conveniente demais a uma pessoa: Hugo Chávez.

Betancourt, mantida como refém na selva com guerrilheiros das Farc há mais de cinco anos, está viva - o que é motivo de muita comemoração - porém, sem vida. O olhar de Ingrid, mesmo sem mirar a lente da câmera, parece esconder – além de raiva e tristeza – humilhação. As cartas supostamente escritas por ela revelam com detalhes a violência psicológica pela qual ela vem passando nestes anos todos. Embora, olhando atentamente sua expressão, poderia dizer que há, apesar da falta de energia, um resquício de protesto, uma centelha de rebeldia. Viva, Ingrid Betancourt!


Vamos, então à desconfiança. Tudo o que vem de Chávez, se relacione com ele, ou de algum modo remete ao mesmo, me causa desconforto. O material foi apreendido com três guerrilheiros presos durante uma operação militar na Colômbia. As fotos, vídeos e cartas de 16 reféns das Farc eram endereçados aos parentes dos reféns, ao Chávez e ao chefe militar da guerrilha, Jorge Briceño.


Acho conveniente demais este materia ter sido apreendido dias antes do referendo na Venezuela sobre a nova Constituição e dias depois da Colômbia ter suspendido a intermediação de Chávez na libertação dos reféns.


Se um coisa não tiver nada a ver com a outra, esse Chávez é mesmo um cara de sorte. A família de Betancourt, por exemplo, já diz que o material é prova de que a intermediação do venezuelano estava dando resultado.


O aloprado do Chávez já subiu nas tamancas – mais ainda – e soltou, neste sábado (01/12), uma crítica à ação militar Colômbiana que prendeu os rebeldes. Ele disse que a prisão dos guerrilheiros e a apreensão do material coloca em risco a vida dos reféns.


Era tudo o que Chávez precisava e, por isso, - apesar de estar feliz por saber que Betancourt e outros 15 ainda estão vivos – sinto cheiro de armação por trás disso tudo.


Uribe anunciou que vai pedir ajuda ao governo francês na negociação com os guerrilheiros porque ele precisa de alguém que lute contra o terrorismo, e não ao lado deles. Dá-lhe Uribe!!!


Espero que a França tenha a oferecer algo às Farc algo do mesmo valor que Chávez provavelmente oferecia.

segunda-feira, novembro 26, 2007

Poderia ter sido evitado

O desabamento de parte da arquibancada no estádio Fonte Nova, em Salvador (BA), que deixou sete mortos e 70 feridos poderia ter sido evitado. As palavras não são minhas, mas do governador da Bahia, Jaques Wagner. Ao mesmo tempo, Wagner diz que não conhecia o conteúdo de um relatório que aponta o Fonte Nova como o pior estádio do país, entre os 29 vistoriados.

O estudo feito pelo Sindicato Nacional das Empresas de Arquitetura e Engenharia (Sinaenco) foi divulgado no dia 1º de novembro mas só será apresentado, oficialmente, durante o 8º Enaenco (Encontro Nacional de Arquitetura e Engenharia), nos dias 29 e 30 de novembro, em São Paulo.


Particularmente, não conheço o estádio. Porém, pelas fotos que estão no relatório (uma delas em destaque acima), fica evidente que o estádio está em péssimas condições. Como diz o governador da Bahia, a tragédia poderia ter sido evitada. Bastava apenas um pouco de fiscalização. Ou será que ninguém nunca prestou atenção às condições do estádio?
Até quando pessoas vão morrer para que atitudes sejam tomadas? Agora, fica esse corre-corre de vistoria e jogo de empurra-empurra para se encontrar o culpado. Todos sabem de quem é a culpa, mas isso não traz de volta a vida das sete pessoas que morreram.
A tragédia poderia ser evitada, não é mesmo, governador? Aliás, o estádio da Fonte Nova é de responsabilidade do governo do estado.

domingo, novembro 25, 2007

Harry Potter e a Alemanha nazista

Em "Harry Potter e as relíquias da morte", o mundo vive uma barbárie muito parecida com a que Adolf Hitler promoveu através de suas idéias racistas e anti-semitas. O extermínio de raças "inferiores" e o conseqüente banho de sangue promovido por Hitler, são explicitamente retratados no último livro da série de J. K. Rowling. (continua...)

sábado, novembro 24, 2007

Muy democráticos

O presidente da Bolívia, Evo Morales, está mesmo fazendo escola com Hugo Chávez. Depois da Venezuela aprovar a nova Constituição, agora foi a vez dos deputados bolivianos fazerem o mesmo.

Sem a participação da oposição, a maioria governista da Assembléia Constituinte da Bolívia aprovou nesta sábado (24/11) a nova Carta Magna (constituição) boliviana.


Os parlamentares do Movimento Ao Socialismo (MAS) e alguns de seus aliados se reuniram em um colégio militar, em Sucre, onde houve vários manifestos contrários à atitude do governo em não chamar a oposição para a aprovação do projeto. Morales tem a maioria no Plenário.


O texto foi aprovado em termos gerias. Cada ponto deve ser analisado, ainda, separadamente. O Parlamento, porém, acaba de entrar em recesso.


Durante os manifestos (foto), em Sucre, uma pessoa morreu e várias ficaram feridas.


(leia mais no G1, O Estado de S. Paulo e no portal Terra)


É muita incompetência!

Se não bastassem o apagão aéreo e do gás, que revelam claramente a falta de planejamento do governo de Lula, agora estamos à beira de mais um apagão: o dos Correios. Os contratos entre os Correios e as agências postais franqueadas de todo o país terminariam na terça-feira (27/11) e, como nenhuma licitação foi feita para que os contratos fossem renovados, a partir da semana que vem todas as franquias teriam que fechar as portas. Elas representam cerca de 23% de todo o sistema de postagem do país.

Para evitar o apagão, o governo deve editar, na segunda-feira (26/11) uma Medida Provisória prorrogando os contratos, mesmo sem licitação.
É falta de planejamento, de competência, de seriedade, de transparência. É a cara do governo Lula.
(lei a sobre o apagão postal no jornal Valor Econômico e na Agência Senado)

Czar Putin manda prender Kasparov


O enxadrista e candidato às próximas eleições presidenciais da Rússia, Gary Kasparov, foi condenado a cinco dias de prisão depois de ser detido (foto) durante um protesto, na tarde deste sábado (24/11), em Moscou. Kasparov é líder do "Outra Rússia", oposição ao governo de Vladmir Putin.

Cerca de três mil pessoas se reuniram na Avenida Sakharova para um comício. O governo havia autorizado a manifestação, porém, os manifestantes da "Marcha dos Dissidentes" tentaram romper o cordão de isolamento da polícia para levar à Comissão Eleitoral Central (CEC) um ofício resultante do comício.

A reação da polícia foi brutal. “Quando o comício terminou, dirigimo-nos para o edifício da Comissão Eleitoral Central para entregar a resolução do comício. Fomos recebido pela polícia de choque (OMON). Começaram a espancar pessoas. Fomos empurrados para o outro lado da rua e empurrados para os carros” – declarou, por telefone, Garry Kasparov.

No documento, o partido "Outra Rússia" dizia que não vai aceitar o resultado das eleições parlamentares marcada para o domingo que vem (02/12). A principal controvérsia nas eleições na Duma (câmara baixa) é que Putin já declarou que encabeçará a lista do partido pró-governamental Rússia Unida.

A Constituição russa não impede que um presidente seja candidato à câmara e assuma o cargo (caso eleito) quando entregar o poder, em março de 2008, após as eleições presidenciais.

Com a abertura da lei - e a certeza de que fará o sucessor presidencial - Putin já se declarou, em 1 de outubro de 2007, interessado em ser o primeiro-ministro do futuro governo. Na prática, Putin será, portanto, o governante da Rússia enquanto conseguir emplacar candidatos do seu partido à presidência.

Putin, embora tenha muitos críticos pelo país, controla tudo e todos até mesmo o resultado das eleições. Por isso, o campeão mundial de xadrez, Gary Kasparov, poderá ser derrotado no tapetão.

Em dezembro, a CNN exibirá o especial "Amanpour Reports: Czar Putin". O programa promete.

(leia mais em: portal G1, blog Da Rússia e agência AFP)

Os donos da mídia

Levantamento feito pelo jornal O Estado de S. Paulo mostra que 23 senadores são donos de veículos de comunicação. Entre eles, o Sistema de Acompanhamento de Controle Societário (Siacco), do Ministério das Comunicações, aponta que ao menos 17 têm parentes na sociedade e na direção do negócio.

O artigo 54 da Constituição Federal e o artigo 4º do Código de Ética do Senado proíbem que senadores tenham concessões de rádio e TV. O descumprimento da regra implica, de acordo com o artigo 55, em perda do mandato.

Há um ano e meio, o senador Eduardo Suplicy (PT-SP) solicitou ao presidente da Comissão de Constituição e Justiça do Senado que fizesse uma interpretação “teleológica” do artigo 54 da Constituição. O requerimento de Suplicy está parado desde junho de 2006. O senador alega até que ponto o presidente da Casa licenciado, Renan Calheiros pode ser punido por algo que "outros colegas não fazem?".
Leia as informações completas na Revista Consultor Jurídico.

Impostos, impostos, impostos!!!!

Desde o começo do ano, o país arrecadou até hoje (24/11) a quantia recorde de 800 bilhões de reais em impostos. O valor é bem maior do que foi arrecadado durante o ano todo de 2005, que foi de R$731,8 bilhões. (Fonte: G1)


O total de impostos foi registrado pelo "Impostômetro", aparelho usado pela Associação Comercial de São Paulo que calcula os impostos arrecadados pelos municípios, estados e União. Consulte o site, vale a pena!

Burocracia

O Brasil é o país onde as empresas gastam mais tempo para pagar os impostos. A consultoria PriceWaterHouse Coopers, com base em dados reunidos pelo Banco Mundial, revelou que são necessárias em média 2.600 horas por ano (somadas as horas de trabalho de cada funcionário) para que uma empresa cumpra todas suas obrigações fiscais, o que coloca o Brasil em último lugar neste quesito, num ranking de 178 países.





Quero ser feliz por um dia

Nesta quinta-feira (22/11), governo e oposição começaram a colher um pouco do que plantaram nos últimos anos. É como eu sempre digo. Se existe uma lei que nunca falha, é a da ação e reação. Pode demorar, mas que ela vem, vem.

No mesmo dia em que o PSDB abria o 3º Congresso e a 9ª Convenção Nacional do partido, o procurador-geral da República, Antônio Fernando de Souza, entregava nas mãos do ministro Joaquim Barbosa, do Supremo Tribunal Federal, um documento de 89 páginas. Era a denúncia sobre o caixa 2 dos tucanos. Com a “delicadeza” de sempre, chamou o ex-presidente do PSDB, atual senador Eduardo Azeredo (foto), de .... hum... digamos... ladrão. (continua...)

Tragédias que não devem ser esquecidas

Nesta sexta-feira, 23 de novembro de 2007, fez um ano que o ex-agente russo, Alexander Litvinenko, foi assassinado após ingerir uma substância radioativa.
Este mês, também, mães das vítimas do ataque à escola de Beslan, na Rússia, protestaram (foto) contra a omissão do governo nas investigações do atentado.
Ao invés de investigar os autores do ataque (somente um terrorista foi preso até hoje), a polícia indiciou a representante das vítimas por instalar a placa de protesto.(continua... )

sexta-feira, novembro 23, 2007

Calado!!!!!!!

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso disse, nesta sexta-feira (23/11), durante o 3º Congresso Nacional do PSDB , que o País precisa ser liderado por alguém que fale bom português. Sem citar o nome de Lula, FHC disse que os tucanos falam bem a língua. (fonte: O Estado de S. Paulo)


Comentário meu: Lula fala tão bem o português quanto governa o Brasil. Porém, "falar bem a língua" não impediu que o PSDB criasse o valerioduto e desviasse R$3,5 milhões das estatais mineiras para a campanha de Eduardo Azeredo, em 1989. Referindo-me apenas ao fato mais recente, é claro.

Tem momentos em que é melhor ficar calado.

quinta-feira, setembro 27, 2007

Novo site

Amigos e amigas.

A partir de hoje, começo a publicar meus textos em meu novo site: Minha Opinião.

Além de política, comento também sobre cinema, esportes, livros, comportamento e muito mais!

O site conta com uma novidade. Algumas de minhas colunas terão, também, uma versão em vídeo.

Grande abraço a todos e obrigada por estarem comigo nesta nova jornada. Dedico este novo trabalho ao meu marido, meus filhos e a vocês que estiverem ao meu lado nestes dois anos de blogueira. Muito, muito obrigada!

Encontro vocês lá!

Grande abraço a todos!

Érika Bento Gonçalves

sábado, setembro 22, 2007

Berezovsky, o tal


Acabo de ler o livro “Morte de um dissidente”. Fantástico! Um thriller que escancara o sistema político da Rússia desde a queda do comunismo até a reeleição de Putin. O livro é escrito pelo cientista Alex Goldfarb e Marina Litvinenko, viúva do ex-agente da KGB, Alexander Litvinenko (foto à direita), assassinado em novembro do ano passado.


A intenção, além de nos presentear com os bastidores mais sórdidos da política, é denunciar os supostos culpados pelo envenamento de Litvinenko, que seriam ex-agentes da KGB a mando do presidente russo, Vladimir Putin. Nas entrelinhas, porém, fica clara outra intenção, a de desmistificar uma personalidade que se tornou bastante conhecida no Brasil depois de financiar o Corinthians: Boris Berezovsky (foto).

Boris é minuciosamente retratado como o oposto do mafioso russo que conhecemos. Os autores, profundamente envolvidos com o magnata, expõem apenas algumas características (positivas) de Berezovsky. Extremamente astuto, o mega-empresário é retratado como de uma vitalidade impressionante, inteligência acima da média, exímio estrategista (político e econômico), cujas qualidades foram usadas com o propósito de manter no poder um grupo que visava dar continuidade à democracia conquistada com a queda do comunismo, em 1991. Porém, fica claro também que – além da atitude “altruísta” – Berezovsky, influente nas decisões do Kremlin, beneficiou-se (e muito) do sistema de privatização galopante na nova Rússia.

Confesso que, depois deste livro, fiquei intimamente ligada à Rússia e ao povo daquele país. Um povo que ama a pátria e, acima de tudo, acredita nos herdeiros do trono (independente de quem seja ele). Se está governando o país, merece crédito e respeito. Qualquer semelhança com a nossa terrinha não é mera coincidência. Aqui, como lá, somos sujeitos a denúncias violentas de corrupção (para citar apenas um item) e 48% da população ainda diz aprovar o presidente Lula.

É certo que muito do crédito ao governo russo se dá por falta de informação, já que toda a mídia tornou-se (de novo) controlada pelo governo e nada, absolutamente nada que seja contrário ao governo é passado à população. Quem ousa fazer isso, como a jornalista Anna Politkovscaya (foto), é simplesmente assassinado. Aliás, assassinatos políticos não faltam na história da ex-URSS, muito bem narrados no livro.

Escondido por trás desta ditadura disfarçada de democracia, Berezovsky se diz perseguido político. Conseguiu asilo britânico e mora atualmente entre seu retiro na França e em Londres. É financiador de várias ONGs na Rússia que abrigam dissidentes e defensores dos direito humanos, usadas, entretanto, para atacar o governo de Putin pelos vários massacres na guerra contra a Tchetchênia. O conflito teve dois períodos: de 1994 a 1996 e reiniciado por Putin em 1999. A guerra, que dura até hoje, já matou quase 300 mil pessoas desde 1994.

Caçado na Rússia por crimes de lavagem de dinheiro, Boris é, agora, acusado pela justiça brasileira por suas manobras financeiras dentro do Timão. Episódio que, aliás, o livro nem passa perto.

Se eu pudesse, ficaria horas falando sobre o livro, a beleza deste povo, a ganância dos governos, as práticas ainda atuais da antiga KGB e, claro, de Boris Berezovsky. Mas não seria justo. O livro “Morte de um dissidente”, mesmo com uma visão parcial sobre o controvertido Boris Berezovsky (embora em vários momentos o autor tente eximir-se de qualquer parcialidade), vale muito a pena ser lido.

Berezovsky pode ser o “tal”, mas não deixa de ser - assim como Putin é retratado no livro - ganancioso, egocêntrico, vaidoso e manipulador. Basta ler nas entrelinhas.

Enquanto isso, vou devorando “Um diário russo”, da jornalista assassinada, Anna Politkovscaya.

Boa leitura!

sexta-feira, setembro 21, 2007

Pode entrar, a casa é sua!

Um cidadão brasileiro, desempregado, doente, há quatro dias sem comer, portanto, desesperado, tenta invadir o Planalto para falar com o presidente Lula. No cumprimento de seus deveres, os seguranças o dominam, forçam-no a enterrar a cara no chão, algemam-no e o colocam para fora. É, está certo, o Palácio do Planalto não é terra de ninguém (embora o principal ocupante esteja sempre viajando) e não pode mesmo ser invadido. Imagine se Lula fosse receber todos os brasileiros famintos, desempregados e doentes. Ele não teria tempo para viajar!

O senhor Ângelo de Jesus tinha – e tem - todo o direito de querer falar com o presidente, assim como é totalmente compreensível o seu descontrole. O que é inadmissível é um cidadão chegar a este ponto. É inadmissível que um país rico como o nosso ainda tenha mais de 36 milhões de habitantes abaixo da linha da pobreza (19% da população - dados fresquinhos da Fundação Getúlio Vargas). Aqui, valem algumas informações: está abaixo da linha da pobreza quem recebe menos de US$ 1 por dia, o que dá R$56,10 por mês! Os beneficiários de programas assistenciais recebem mais do que isso e, portanto, não estão abaixo da linha da pobreza (embora vivam às minguas). Está explicado porque o Brasil tem tirado tanta gente do limite da pobreza nos últimos anos!

Enquanto o senhor Ângelo tentava desesperadamente falar com o presidente, Lula estava em Manaus com o amiguito Chávez. Entre umas e outras (prosas, não pingas... bem, talvez ambas), Lula ofereceu o nosso país como sede do encontro entre Chávez e as Farc para tratar da paz na Colômbia.

Como é? O Brasil pode ser palco para o encontro entre a Venezuela e os guerrilheiros para tratar de assuntos da Colômbia? E o “seo” Ângelo não pode entrar no Planalto para falar com Lula? Vamos ver se eu entendi direito: o banqueiro italiano, Salvatore Cacciola, pôde sair do Brasil enquanto era julgado pelo prejuízo de R$1,5 bilhão ao país; Cesare Battisti, condenado à prisão perpétua na Itália pela morte de quatro pessoas em ataques terroristas, não foi extraditado, assim como seu patrício, Achille Lollo, do PSOL, condenado a 18 anos de prisão depois de incendiar uma casa, também na Itália, cujo incêndio queimou vivas duas pessoas (entre elas uma criança de oito anos), também pode ficar. E o senhor Ângelo não pode entrar no Planalto?

Você até pode pensar que estou misturando tudo, mas o fato é que existe uma profunda sensação de injustiça (pra variar) com relação a quem entra ou sai de qualquer lugar neste país. Quem vai preso, quem não vai. Quem é solto, quem não é. Quem foge, quem não foge. Quem pode entrar no Planalto e quem não pode.

Não podemos fazer nada para que todos os brasileiros necessitados tenham seu encontro com o presidente, assim como não podemos impedir que as Farc venham tratar, aqui, de assuntos da Colômbia com o presidente da Venezuela. Tenha paciência! Nossas portas estão escancaradas para guerrilheiros e terroristas, mas “seo” Ângelo não pode entrar no Palácio do Planalto!

Quem está com as “chávez” do Brasil, afinal?

Como sempre neste país, quem entra ou sai depende do que oferece em troca. Se o governo tem cargos públicos à disposição (e isso só aumenta no governo Lula), deputados aprovam a CPMF. Se Achille Lollo for companheiro de armas, pode ficar. Se tiver que pagar R$1,5 bilhão ao governo, pode voltar. Se financiou campanha política do PT, pode entrar pra negociar com Chávez a paz na Colômbia. Mas, se for um pobre coitado, doente e desempregado, fique onde está!

Viva a democracia!

sexta-feira, setembro 14, 2007

Tudo pela imagem

A semana foi tão conturbada que fiz um texto para a coluna desta semana e, por fim, elegi outro como tema: a “greve branca” dos Senadores.

Deixei para trás o que eu chamei de “Brasília dividida”, comentando que, enquanto o Senado promovia a mais celebre vergonha do ano ao absolver Renan Calheiros, na mesma Brasília o STF deu um banho de democracia. Autorizou a entrada dos deputados na votação e ainda derrubou duas leis abusivas: a aposentadoria vitalícia do ex-governador do Mato Grosso do Sul (o Zeca do PT) e a de Minas Gerais que garantia foro privilegiado a mais de duas mil autoridades mineiras. Terminava o texto dizendo que, o triste disso tudo é ver que vivemos em um país onde honestidade, caráter e aplicação das leis deixaram de ser obrigação e viraram qualidades raras!

Voltemos, então, à “greve branca” no Senado. São seis partidos que se rebelaram contra o resultado da absolvição do presidente da Casa e, agora, ameaçam não votar projetos de interesse do governo limitando-se apenas aos que são de interesse do país. Ótimo! Palmas para eles! É uma bela pressão recusar-se a votar a CPMF em troca da saída de Renan da presidência do Senado, afinal, tudo lá é à base da troca! Qual o problema? O problema é que, entre estes senadores certamente tem um ou outro que, na surdina, absolveu o camarada e, agora, mostrando a cara, vira protetor dos interesses da sociedade.

O mesmo interesse pela imagem pôde ser visto enquanto as câmeras ainda estavam ligadas na sessão que discutia o futuro de Calheiros. Não faltaram senadores para repudiar a sessão ser secreta. Exigiram rapidez na votação de projetos que pedem a quebra do sigilo em sessões como aquela. Oras, se estes projetos estão lá há tanto tempo, por que não foram votados antes? Só agora lhes interessam defender a transparência? Que eu me lembre, o último (e único) Senador cassado foi Luiz Estevão, também do PMDB. E isso foi em 2000! Lá se vão sete anos de desinteresse pela matéria. Mas, tudo pela imagem! Tudo pela aprovação popular!

Então, vamos mexer nos esqueletos e desenterrar estes projetos, mesmo que não dê tempo de ser aplicado na próxima sessão contra Renan, se é que ele enfrentará outra. A meu ver, se mentir em plenário, apresentar provas falsas à comissão de Ética (e à polícia) não é quebra de Decoro Parlamentar, então o que pode ser uma ajudazinha a uma cervejaria, o uso de laranjas em meios de comunicação ou pegar propinas em Ministérios encabeçados pelo PMDB? Nada! Como disse Mercadante, não há prova “concreta” para condená-lo!

Agora, veremos quanto vale Renan Calheiros. Por enquanto, ele está cotado em torno de 38 bilhões de reais. Quantia que deve ser arrecadada pela CPMF no ano que vem. Se é um pelo outro, então fica Renan!!!!!!!!!!! Fica!

Por outro lado, se Renan se afastar (o que eu acho difícil), a oposição vai aprovar a CPMF, mudar o discurso e dizer que a “contribuição” é de interesse do povo? Ou vai ser contra e jogar o acordo (ou as propinas) no lixo? Vamos ver, de verdade, por quanto a oposição vai vender esta imagem de defensores da ética daqui algumas semanas.

Só para concluir, para quem quer saber quem votou o quê na sessão de quarta-feira, tenho uma sugestão: invoquem o fantasma de ACM! Só ele pode violar o painel e ficar impune.

“ACM, está me ouvindo? Aparece, meu rei!!!”

quarta-feira, setembro 12, 2007

Barrados no baile

Aconteceu, agora pouco, uma confusão na entrada do Senado. Deputados Federais foram impedidos de entrar no Senado. Mesmo tendo em mãos a decisão do STF que lhes garante o direito de acompanhar a votação da cassação de Renan Calheiros, os seguranças do Senado os impediram de entrar.

Não estou sendo realista: foi uma verdadeira algazarra! Uma cena vexatória ver deputados tentando passar por cima da segurança, gritaria, xingamentos, pancadaria! Foi isso mesmo. Acompanhei ao vivo, pela TV Senado. Até Gabeira acertou um soco no vice-presidente da Casa, Tião Viana! A deputada Luciana Genro ficou com a perna machucada e até armas de choque foram usadas.

A confusão era porque a Mesa Diretora ainda não havia decidido “se acataria a decisão do STF ou recorreria”. Totalmente desnecessária!!

Este foi mais um episódio vergonhoso que envolve todo o processo de cassação de Renan Calheiros. As denúncias, em si, já são vergonhosas. A demora em se tomar uma atitude, outra vergonha. A sessão ser secreta – mesmo que previsto no regimento interno do Senado – é outra vergonha. Pura falta de transparência dentro do legislativo (como se não soubéssemos que, de transparente, não existe nada na política deste país).

Espero que, ao final da sessão, não tenhamos que engolir outra vergonha. Que o dia de hoje já foi decidido nos bastidores entre os partidos e o governo federal. Se Renan for absolvido, houve venda de votos e ninguém me convencerá do contrário.

Agora, me interessa acompanhar as próximas semanas. Com Renan na rua, muita sujeira pode sair de baixo do tapete.

segunda-feira, setembro 10, 2007

Oposição pode salvar Renan

Quando a enxurrada de denúncias contra o PT e os “vizinhos de porta” do presidente Lula começou, em 2005, a oposição deixou a desejar apostando que Lula “sangraria” no poder. Errou e errou feio. O poder de Lula (e de seus programas assistenciais) garantiu-lhe mais quatro anos de mandato. Agora, a oposição corre o risco de cometer o mesmo erro com Renan Calheiros.

Se Renan passar por esta ileso, que ninguém duvide do poder dele de reverter a situação. Calheiros se atirará com todas as forças para recuperar sua imagem e governabilidade como presidente da Casa.

A oposição pode ter negociado muito com os aliados de Renan para que ele passe por essa primeira fase na garantia de que os outros três processos na Comissão de Ética o tirarão de circulação. Se isso aconteceu, está assinado o atestado de burrice e assumido que não aprendeu nada com a chance perdida de derrubar o governo Lula, dois anos atrás. Mais do que isso, os senadores serão responsáveis pela volta da “pizza” no Congresso, algo que, após os réus do mensalão, seria um retrocesso na esperança de ser ver algo de sério na política.

Qualquer acordo a esta altura só pode favorecer Renan Calheiros. Veremos o quanto de inteligência há nas mentes dos digníssimos senadores e o quanto custou o voto da oposição em breve. Infelizmente, com a votação secreta, nos restarão apenas especulações. A menos que o fantasma de ACM viole o painel e nos adiante o presente de Natal!

Comecemos a invocá-lo já: “ACM, está nos ouvindo?”

O que o PT pode aprender com a China

O presidente do PT, Ricardo Berzoini, e outros dez dirigentes do partido foram à China nesta segunda-feira (10) para um encontro com lideranças do Partido Comunista Chinês. Os doze petistas devem ficar dez dias na China. A versão oficial é que o PT pretende ver como o Partido Comunista Chinês (PCC) administra uma estrutura de mais de 70 milhões de filiados e sua comunicação interna. A minha versão é um pouco diferente desta, principalmente quando a China enfrenta uma situação muito semelhante ao Brasil: a corrupção.

Assim como o PT, depois de tentar negar, esconder e driblar várias denúncias, O Partido Comunista Chinês não teve outro jeito a não ser assumir que a corrupção estava engolindo o partido e o governo.

No poder desde 1949, o PCC já admitiu que quase dois mil funcionários públicos confessaram envolvimentos com corrupção. Só em 2006, foram registrados mais de 30 mil casos no país, incluindo pelo menos seis nomes ministeriais. Nos últimos meses, dezesseis integrantes do governo comunista foram detidos acusados de corrupção. O dinheiro servia, principalmente, para financiar suas amantes. Depois disso, acreditem ou não, até uma lei foi editada proibindo que funcionários públicos tivessem amantes!

Os chineses que, embora estejam submetidos ao regime comunista há quase 60 anos, têm mostrado intolerância quando o assunto é a corrupção dentro do governo. Esta associação incomoda o partido que não pretende perder o poder. O governo tem tentado de todas as formas aplicar mãos de ferro contra os corruptos. A atitude mais drástica foi a execução do chefe da Administração Estatal de Alimentos e Remédios da China, em julho deste ano. Zheng Xiaoyu foi acusado de receber suborno, em torno de US$ 832 mil, para liberar produtos sem as inspeções necessárias e foi executado por isso.

Se o PT quiser aprender com a China como passar ileso pelas denúncias de corrupção, poderia começar com a execução dos envolvidos. O problema é que o PT não tem 70 milhões de filiados e sobraria pouca gente para contar história. Talvez devesse aconselhar o governo a editar uma Medida Provisória proibindo parlamentares e ministros de terem amantes, o que não passaria com facilidade pelo Congresso.

Corrupção à parte, a China tem muitas lições a passar ao PT que pensa em uma nova Constituinte, a extinção do Senado e acaba de ditar o novo “Socialismo Petista”. O problema é que nunca saberemos o motivo deste encontro nem como o PT (atolado em dívidas) está pagando as 11 passagens aéreas para a China (em torno de 3 mil dólares por pessoa). Sem falar que Ricardo Berzoini, além de ser presidente do PT é um Deputado Federal que, na semana em que Brasília ferve com o julgamento de cassação de Renan Calheiros, a prorrogação da CPMF e tantos outros assuntos que interessam ao país, preferiu abrir mão de dez dias de trabalho - para o qual foi eleito - para ir à China “trocar idéias de como organizar um partido e sua comunicação interna”.

E tem gente que ainda acredita nisso...

sábado, setembro 08, 2007

185 anos de orgia

Em 7 de setembro de 1822, às margens do rio Ipiranga, em São Paulo, o príncipe D. Pedro I, recebendo as ordens para retornar a Portugal, ergueu a espada e, sobre seu lindo cavalo, gritou “Independência ou Morte!”. Esta “independência” nos custou muitas negociatas internas e externas, inclusive o pagamento de mais de 2 milhões de libras esterlinas aos portugueses, que pegamos emprestados da Inglaterra. O país trocava o domínio português pelo inglês e dava início à dívida externa.

Bom, certamente eu não estava presente aos fatos e relato acima o que aprendi nos livros de História do Brasil (muitos anos atrás). Portanto, não me responsabilizo pela veracidade dos fatos. Há quem diga que o “grito” veio de trás de uma moita enquanto o príncipe fazia suas necessidades depois de uma longa noite com sua amante, a Marquesa de Santos. Mas isso já é fofoca! O importante é que, fazendo um balanço de 1822 para cá, tenho que lhes dar uma notícia nada agradável: como um objeto de luxo, estamos sendo passados de mão em mão, usados- e abusados - há 185 anos.

Não vou perder o meu tempo – nem o seu – em detalhar cada período histórico de nossa querida Pátria. Até porque, no final de tudo chegaremos à conclusão que nada mudou. A orgia só aumentou e ainda somos colônia de alguém. Alguns exemplos bastam.

Nossa dívida externa passou da libra esterlina ao dólar (muitos milhões de dólares a mais).

Os impostos, que tanto abasteciam a Corte Portuguesa, chegaram a R$606 bilhões arrecadados até 06.09.2007 (R$57 bilhões a mais que o mesmo período do ano passado) cujo destino – assim como no passado - certamente não é a educação, saúde, transporte, moradia, geração de emprego e renda.

O desvio de dinheiro público está, hoje, no superfaturamento e dentro das nossas estatais, sugadas para abastecer campanhas eleitorais, partidos políticos e as propinas aos parlamentares para aprovação de projetos do governo. Não quero nem pensar em quanto está nos custando a barganha para a prorrogação da CPMF e a permanência de Renan Calheiros!

Passamos de colônia à democracia com as eleições diretas. Vejamos quantas mudanças isso nos trouxe: o povo escolhe, mas o governo (independente de qual seja) é obrigado a manter a roda da corrupção girando, a menos que tenha interesse, caráter e honestidade para não fazê-lo. Até hoje, nenhum teve.

A justiça... ah, a justiça. Era só para quem tivesse dinheiro, poder, influência, fosse amigo do rei ou todas as alternativas anteriores. Era?

A Lei Áurea, assinada há quase 120 anos, morreu de velhice e inanição. Ainda trabalhamos a troco de ticket alimentação, além de pagar impostos e manter a corte do rei.

Poderia dar uma passeada ainda pela educação, saúde, liberdade religiosa, sexual e de expressão. Todos os aspectos de uma sociedade que deveriam ter evoluído em 185 anos. Mas, melhor parar por aqui. Afinal, hoje é feriado, Dia da Pátria, vamos sair e comemorar a Independência do Brasil!

Em pensar que começamos nas mãos de um barbudo e continuamos do mesmo jeito!

Pena que não estou na Itália para dar adeus a Pavarotti. Este sim – mesmo que barbudo – sabia “gritar”...

sexta-feira, agosto 31, 2007

A pequena chama se apagou

A decisão do STF de acatar grande parte das denúncias contra os 40 envolvidos no esquema do mensalão foi uma vitória que comemorei por pouco tempo. Apostei que iria acontecer e acertei. Agora, começa de fato o julgamento e será uma longa história. Longa o suficiente até para que alguns dos crimes prescrevam no meio do caminho. Isso todo mundo sabe.

Mas a minha curta comemoração não foi por saber que possivelmente nenhum deles será condenado. Muito menos por uma jornalista atenta ter ouvido confissões de um ministro que disse ter sentido a “faca (da mídia) no pescoço”, ou porque a tendência era “amaciar para José Dirceu”. Não. Nada disso me espanta mais do que, no mesmo dia da decisão histórica do STF, um outro órgão judiciário ter decido manter – em cargo vitalício – um promotor que matou a tiros um jovem de 20 anos.

O mesmo Ministério Público que denunciou o promotor Thales Ferri Schoedl por homicídio qualificado, devolve a ele o cargo, o porte de arma, o julgamento em foro privilegiado e mantém o salário de 10 mil reais. Salário que, aliás, Thales só não recebeu entre 2004 e 2006 quando uma primeira decisão havia afastado o promotor do caso (R$ 284.352 que Thales pede na justiça referentes aos “salários atrasados”). Se não bastasse, o promotor assumirá o cargo na cidade de Jales, interior de São Paulo, onde a família da vítima possui muitos amigos. Thales atuará em casos civis e criminais.

Como um promotor que mata a tiros um jovem de 20 anos e fere outro numa discussão em uma festa pode julgar a culpabilidade de outra pessoa? Quantos pesos e medidas o nosso Ministério Público tem ao analisar um caso? O mesmo peso que usou para levar oito anos para exonerar do cargo o promotor Igor Ferreira? Igor matou a esposa grávida em 1996. Em 2001 foi condenado e só em 2006 foi exonerado. Igor foi condenado a 16 anos de prisão, mas nunca cumpriu um só dia porque está “foragido” desde o crime.

Eu poderia, hoje, estar comentando com alegria, a decisão de que o voto pela cassação de Renan Calheiros (no caso Mendes Júnior) será aberto; ou criticando a lentidão do Conselho de Ética em julgar um e não os três casos envolvendo o presidente do Senado; levantar a questão do suposto envolvimento de Calheiros com lavagem de dinheiro em contas no exterior (a mais nova denúncia contra ele); ou o próximo capítulo do Valerioduto que, em breve, chegará ao STF envolvendo o também senador Eduardo Azeredo. Mas nada disso tem valor quando uma família vê o assassino de seu filho nas ruas, andando armado e com a proteção da justiça.

O Órgão Especial do Colégio de Procuradores do Ministério Público de São Paulo, que devolveu a Thales o cargo de promotor, apagou a pequena chama de justiça que a sociedade tanto precisa e nos fez lembrar que ainda estamos no Brasil, o país onde as alegrias duram pouco. Muito pouco.

Guardem estes nomes: Fábio Modanez e Sônia Mendes Modanez pais de Diego Mondanez, assassinado pelo digníssimo promotor. Amanhã, estes nomes poderão ser os nossos.

sábado, agosto 25, 2007

STF x mensaleiros: o jogo do ano!

Se eu gostasse de futebol, estaria me sentindo em final de Campeonato Brasileiro com meu time na final. Ou, na Copa do Mundo, com o Brasil disputando a taça com a Argentina ou com a França e seu Zidane, sei lá, como disse, “se eu gostasse de futebol”. Deste esporte, gosto mesmo é do meu São Paulo.

A minha Copa do Mundo está sendo acompanhar o julgamento do STF quanto à denúncia dos quadrilheiros do mensalão. Um deleite. O flagrante do fotógrafo do jornal O Globo, Roberto Stuckert Filho, nas mensagens eletrônicas entre os ministros Ricardo Lewandovski e Carmen Lúcia foi um gol de bicicleta!

A atitude do relator do processo, ministro Joaquim Barbosa, de separar por capítulos a denúncia do Procurador Geral de República, Antonio Fernando de Souza, que tem mais de 400 páginas, foi outra jogada de mestre. Assim, o julgamento fica mais objetivo, com maior tendência de acatar as denúncias contra os acusados. Tanto é que 19 já se tornaram réus no processo.

O julgamento só deve terminar na terça-feira e até lá saberemos o futuro dos outros 21 denunciados. Se eu fosse participar de um bolão desta final, apostaria que o STF acatará a denúncia contra todos eles. Nem mesmo José Dirceu vai se livrar dessa. É bom lembrar que Dirceu pode ter se livrado de uma acusação mas, no total, ele é apontado pelo procurador-geral como chefe da organização criminosa, foi denunciado por formação de quadrilha, denunciado quatro vezes por peculato e nove vezes por corrupção ativa! Talvez alguns dos acusados se safem de um ou outro crime. Mais do que apostar, é que eu gostaria de ver.

Pesa sobre os ombros do STF o clamor da sociedade que se mostra intolerante à impunidade. E, convenhamos, acatar a denúncia, não seria tão difícil para o STF, já que transformá-los em réus não torna nenhum deles diferentes do que já são: culpados perante a sociedade. Tornando-os réus não muda a vida de nenhum dos envolvidos. No Brasil, ser processado não é sinal de culpa até o final do julgamento o que, neste caso, levará anos (senão décadas)!

Em tempo: se a informação da ministra Carmen Lúcia (flagrada por mensagem eletrônica) de que o colega Eros Grau não acataria a denúncia do Ministério Público for verdadeira, ele não teria esta chance já que o ministro sairia de licença para uma cirurgia. Eros Grau cancelou a cirurgia. Vamos ver o porquê no final do julgamento, que deve seguir até terça-feira.

Em tempo 2: enquanto os holofotes estão virados totalmente para o STF, o deputado Antônio Palocci será o relator do projeto de prorrogação da CPMF na Câmara, o que não é nada bom para o Brasil.

Em tempo 3: Ainda não engoli a história de que Collor afastou-se do cargo de senador para dar lugar ao primo, que será candidato a prefeito nas próximas eleições. Aí tem. Atenção alagoanos, fiquem de olho no que Collor fará nos 120 dias de licença. O grupo Collor de Melo, que também possui veículos de comunicação no estado, tem muitos interesses no caso Renan. Políticos e financeiros.

segunda-feira, agosto 20, 2007

Eu posso falar mal do Lula!

Uma simples razão me leva a ter o direito de criticar o presidente Lula. Eu votei nele. Votei nele e no PT desde as eleições de 1989. Fiz duas campanhas políticas para o PT e arrastei milhares de votos comigo. Acreditava cegamente que havia muita verdade, honestidade, vontade política e caráter no partido e principalmente na figura de Lula.

Ainda me lembro da primeira entrevista que fiz com ele, em Poços de Caldas, Minas Gerais. Foi em 1994. Ele tinha um olhar profundo, desafiador, daqueles que você não consegue desviar e definitivamente acredita no que ele diz.

E é por tudo isso que me sinto no direito de falar o que eu quiser dele, do partido e do governo petista. O que esta tríade fez com o país e principalmente com aqueles que, como eu, neles confiavam, foi uma das piores traições políticas já vividas neste país.

Eram inadmissíveis corrupção, apadrinhamento, mensalão, ou qualquer coisa que fosse desonesto em governos petistas. Pelo menos era assim que eu fui levada a crer. Lula, para mim, não é melhor do que qualquer mercenário.

Não está em questão, aqui, questões econômicas, sociais, ou qualquer tipo de discurso pró-Lula. E olha que, mesmo assim, são muito discutíveis! Minha questão com ele é mais profunda, é de falta de caráter mesmo. Ética, transparência, honestidade e todas as coisas que ele pregava e se esperava de Lula.

Dois anos atrás, Peter Eigen, presidente da TI (Transparência Internacional) que mede o índice de corrupção em diversos países no mundo, disse que “Lula foi uma decepção”. Decepção? Lula é mais do que isso, é uma mentira. Um personagem criado pelo PT que passou a ter vida própria, interesses próprios e aprendeu a fazer o que há de pior na política. Ser igual.

Detalhe: quando Peter Eigen disse que Lula era uma "decepção" (em 2005) a crise no governo petista havia feito o Brasil perder três posições no ranking global de corrupção, caindo da 59ª para a 62ª posição. Um ano depois, o Brasil caiu ainda mais chegando a 70ª posição entre os 163 países pesquisados.

sexta-feira, agosto 17, 2007

Por favor, vaiem o Lula!

Lula mostra, a cada dia, que tem um ponto fraco e de alvo fácil. O ego do metalúrgico que se tornou Presidente da República não suporta vaias e, pouco a pouco, elas estão desfazendo a máscara do “Lulinha Paz e Amor”. O discurso polido (quando escrito por assessores, é claro) está ficando para trás e dando lugar à vulgaridade, à falta de respeito e mostrando o verdadeiro Lula.

As vaias no Pan ficaram sem resposta, o que foi uma pena. Eu gostaria de saber qual besteira ele teria dito. Nos protestos seguintes, Lula atribuiu à meia dúzia de descontentes e chamou a briga para as ruas. Depois, provocou a elite dizendo “Os que estão vaiando deveriam estar aplaudindo porque ganharam muito dinheiro no meu governo”, referindo-se a banqueiros e empresários. Sem perceber, explicou o milagre do aumento do consumo no país. Com a facilidade dos empréstimos bancários - que encheu os bolsos dos bancos - a classe média e o trabalhador nunca compraram tanto e nunca estiveram tão endividados.

Mas, foi esta semana, que Lula mostrou o quanto é dissimulado e arrogante. Foi durante a inauguração de uma Unidade de Ensino, em Campos dos Goytacazes, no Rio. Um grupo de estudantes e professores, usando nariz de palhaço, vaiou o presidente. Com um sorriso cínico no rosto, Lula primeiro comparou os manifestantes aos atletas no banco de reserva torcendo para que o titular cometa um erro. De banco de reserva Lula entende. Ficou 20 anos em um, criticando, à espera de uma chance. O pior é que, quando conseguiu, não cumpriu metade do que prometeu. Principalmente nos quesitos transparência, honestidade e o fim da corrupção.

Depois, ofendeu os estudantes ao dizer que o público “é tão jovem e desprovido de consciência política, que usa nariz de palhaço, que é uma coisa alegre.” O que o presidente, desprovido de inteligência como é não entendeu, é que o brasileiro é sim um palhaço. Motivo de piada internacional, do Governo Federal, do Congresso, do PT e até da justiça.

Mas foi ao chamar os estudantes de “desprovidos de consciência política” que Lula expôs sua mais sincera opinião sobre o jovem deste país. Para ele o jovem é apenas uma mente manipulável. E disso, ele também entende bem. Durante anos, os chamados revolucionários manipularam milhares de jovens a pegar em armas em nome de uma ideologia falsa e, mais tarde, Lula e o seu bando do PT incentivaram-os a pintar suas caras pelo impeachment de um presidente.

Quanto mais Lula sofre vaias, mais mostra sua face cruel, mentirosa e ao mesmo tempo verdadeira. Espero que a sociedade vaie mais. Muito mais.

sexta-feira, agosto 10, 2007

As lições da semana

Lição 1:
Um avião com 15 parlamentares fazer um pouso forçado não é nada. Teria sido bom se este tivesse com um reverso desligado, sem freios, em pista curta, molhada e num dia de chuva. Exatamente para não passar por isso é que eles foram parar em Guarulhos e não em Congonhas, como previsto. O que eles sentiram dentro daquele avião não foi nada e, mesmo assim, ficaram apavorados! Quem sabe, agora, eles comecem a entender um pouco do que é o dia-a-dia de um brasileiro comum. Aliás, eles têm muito que aprender com a nossa gente.

Lição 2:
Orçamento. Quando uma família comum faz o orçamento do ano ela inclui estudo, moradia, comida, transporte, atendimento médico e por aí vai. O Ministério da Defesa, porém, faz diferente. Ele calcula o quanto deverá investir em Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos durante todo o ano de 2007 (2 milhões de reais) e usa em festas e homenagens em apenas 7 meses! Justamente entre os dois maiores acidentes aéreos da história do país! Se não bastasse, o novo Ministro da pasta diz que as companhias aéreas deveriam aumentar o tamanho das poltronas! Em que país estas pessoas vivem, hein?

Lição 3:
Efeito dominó. Por outro lado, até que seria bom. Aumenta a poltrona, diminui o número de passageiros, aumenta o preço da passagem, restringe os vôos às classes A e B, aumenta o preço das passagens de ônibus, aumenta o fluxo de veículos nas estradas, mata mais gente nas rodovias e aí, quem sabe, as novas pesquisas Datafolha comecem a mostrar a verdadeira imagem de Lula (aquele cujo avião nunca voa com o reverso desligado).

Lição 4:
Cartas na manga. Depois de ser expulso do baile, o ex-Infraero, brigadeiro José Carlos Pereira resolveu dedurar a diretora da Anac. Pergunto: se ele sabia que Denise Abreu fazia lobby para levar o serviço de cargas para Ribeirão Preto e presentear amigos com 400 millhões de reais, por que ele não denunciou antes? Afinal, era obrigação dele, como presidente da Infraero, ou não? Isso me faz lembrar Roberto Jefferson... só quero ver se o brigadeiro terá o mesmo peito que Jefferson e se ele será processado (no mínimo) por omissão.

Lição 5:
Processo contra autoridade é besteira. Não é que Maluf conseguiu se livrar dos processos em São Paulo? Também, depois de 11 anos na gaveta, duvido até que alguém soubesse onde estavam. Mesmo destino terão outros processos. Contra Marcos Valério, por exemplo. O publicitário-caixa 2-empresário denunciado há mais de dois anos está tão de bem com a vida que até mudou o visual. Fez implante e está a cara de Renan Calheiros. Em tudo. Abandonou a publicidade e agora é pecuarista. Cria cavalos e gado numa fazenda cuja sede é uma mansão.

Lição 6:
Construindo o futuro. Aliás, se Valério quer ser copycat de Calheiros, está no caminho certo. Faltam apenas as concessões de rádios. Será que ele ainda não as tem?

segunda-feira, agosto 06, 2007

Um filme chato, cansativo e repugnante

Se o Brasil de hoje fosse um filme, seria uma obra sem direção, com um péssimo enredo, com muitos personagens e todos ruins. Nos dois sentidos. Os atores (com altíssimos cachês) nem se dão ao trabalho de fingir. Agem e pronto. Acredite neles se quiser! Enquanto outros, que deveriam agir, ficam às moscas, como se esquecessem suas deixas e não entram nunca em ação. Porém, antes mudo do que com péssimas falas. Dizer que tem "duas orelhas, uma para ouvir vaias e outra para os aplausos" e o "não sabia da extensão da crise (aérea)", como disse o protagonista do filme, soa-me como uma piada sem graça, absurda e infantil.

Mas não é um filme. O país está num caos (há muito tempo) que piora a cada dia. Quando um presidente chega ao cúmulo de dizer que "de rua ele entende", em resposta a um protesto "Fora Lula", como se tivesse sido chamado para uma briga de rua, Lula resumiu-se ao que ele é: um bronco cuja maior habilidade é a briga de rua, sem regra, sem escrúpulo e sem técnica, apenas um instinto selvagem de sobrevivência, a própria. Este é o presidente deste país. É o protagonista deste filme que somos forçados a assistir, gostando ou não.

Até Renan Calheiros está cansado. Bocejou longamente no segundo dia de trabalho depois do recesso. Não parece nem um pouco preocupado com o desenrolar das investigações contra ele. Em seu lugar, eu também não estaria. Num país como este?

Enquanto isso, a Polícia Federal vem com um requentado esquema de corrupção nos Correios. E com uma declaração incrível! Mesmo depois das denúncias na estatal, em 2005 (2005!!!), as fraudes nas licitações dentro da empresa continuaram. Jura? Eu nunca poderia imaginar... Assim como não poderia imaginar que outros aviões da TAM apresentassem problemas tão cedo, nem que as CPIs que investigam a crise aérea acabariam por se digladiar no primeiro brilho alheio. Se fosse o Senado a divulgar os dados das caixas-pretas, os deputados é que estariam gritando.

O filme é tão previsível em alguns aspectos que cansa mesmo. Porém, enquanto somos apenas nós, meros espectadores desta trama (que parece não chegar ao fim simplesmente por não ter um desfecho a apresentar), dá para entender. Não temos poder (nem direito) algum mesmo. Mas, a Ordem dos Advogados do Brasil dizer "Cansei"? Cansou de quê? Se pelo menos tivesse feito algo, mas não a vi em ação concreta contra nada do que estamos vendo. Nada! Onde está o pedido de impeachment que poderia (e deveria) ter feito?

Cansados estamos nós, de assistir a este filmezinho de custo elevadíssimo sem resultado algum. Cansados estamos nós de ver famílias destruídas por violências e tragédias entregarem pedidos de "atitude" ao presidente Lula (como se esta não fosse a obrigação dele e sim um favor).

A vida tornou-se tão banal neste país que praticamente três aviões como o Airbus A320 caíram no mês de julho e ninguém percebeu. Foram 669 mortes em acidentes, apenas nas estradas Federais. A imprudência, as péssimas condições das estradas e o aumento do número de veículos (graças ao caos aéreo) foram as principais causas destas mortes. Como sempre, uma "trágica conjunção de fatores".

A última vez que me senti tão enojada ao ver um filme foi em “Laranja Mecânica”, há vinte anos. E, hoje, comparo não só a minha reação ao filme como também os personagens. Lula é Alex. Começa como marginal e termina como marginal. Só que este foi um filme bom de ver e deve ser revisto, principalmente agora! Pena que, diferente do filme, não teremos a chance de revidar a Lula e a todos deste governo a violência que estamos sofrendo. O nosso filme é péssimo mesmo!

domingo, julho 22, 2007

Tragédia TAM: número indefinido de mortos

Não há como calcular o número de mortos na tragédia com o Airbus da TAM. Um acidente como este, assim como foi com o Boeing da Gol, em setembro do ano passado, não se calcula pelo número de corpos e sim pelo número de famílias, amigos e parentes atingidos pela tragédia. E este cálculo, infelizmente não tem número definido.

Meu choro, como mãe e cidadã, não significa nada perto do grito de desespero de Cristiane Bueno, a mãe que perdeu seus únicos dois filhos (apenas para citar um dos exemplos). Que vida poderá levar esta mãe depois desta tragédia? Que vida levarão todas as famílias que perderam tantos sonhos junto com aquela explosão? Todas elas morreram naquele dia. Poderão sobreviver à tragédia, mas jamais terão os mesmos sonhos, farão os mesmos planos, terão as mesmas esperanças. Tudo o que morreu com elas (além dos seus entes queridos), não terá retorno.

Suas vidas serão de lembranças. Um dia, porém, terão que renascer de alguma maneira. E elas renascerão, espero eu, com muita coragem e a força dos amigos e parentes. A pessoa é parte daquilo que a cerca. Ou, “daqueles” que a cercam. Quando este ambiente muda, com perdas tão grandes, esta pessoa precisa se redescobrir, começar de novo e isso não está nos cálculos da TAM ou da Infraero, está?

Por todos aqueles que enterraram seus parentes em setembro do ano passado, por todos estes que tentam enterrar as mais novas vítimas desta tragédia aérea, por todos nós brasileiros, possíveis vítimas num futuro vôo, que se faça alguma coisa!

Nada que seja para daqui a 10 anos, senhor presidente. É preciso fazer algo hoje, agora, já que nada foi feito quando deveria. Era preciso ter feito antes, muito antes daquele Boeing da Gol ter se despedaçado, pois o senhor, presidente Lula, foi informado das condições técnicas dos radares assim como das pressões sobre os controladores de vôos.

Era preciso ter feito também depois do acidente com o avião da Gol. E é preciso fazer algo agora! Não somos nós que temos que fazer, são as autoridades que têm nosso dinheiro para isso. São as empresas aéreas que lucram com cada passageiro que coloca sua vida em suas mãos.

Vocês têm que fazer alguma coisa! E isso não é um pedido. É uma ordem, escrita por mim, mas que – certamente – é também de todo o povo brasileiro, pois temos o direito de exigir alguma atitude concreta para que tragédias como estas não se repitam, nem daqui dez meses, nem daqui dez anos.

É nosso direito, é seu dever.

O fantasma de ACM

Não é porque ACM morreu que vou falar bem dele. Não. ACM não foi um político imaculado, mas também não posso negar que sua figura impressionou e que sua liderança fará falta. Mesmo afastado, ACM ainda era o "Senador Antônio Carlos Magalhães". Por isso, um homem como ele não morre. Deixa o corpo velho e cansado para viver em segredo.

ACM rondará o Senado, a Câmara, o Governo e a Bahia. Mas, por mais assombrado que seja não terá êxito. Não neste cenário e, acredito, nem nos próximos dez anos. Não há e nem haverá, tão cedo, alguém com a personalidade tão ambígua, forte, assustadora e necessária quanto à dele. Nem o filho, nem o neto.

ACM sabia passar da ternura à malvadeza nos momentos certos. Era um político. Por paixão e vocação. Fez tudo o que todos os políticos fizeram e fazem. Manipulou, mentiu, enriqueceu. Violou o painel e fugiu. Mas e daí? O que contarão, em se tratando de Antônio Carlos Magalhães, serão sua coragem, sabedoria e sagacidade. Ele teve força, bateu na mesa, gritou, urrou e amedrontou, quando foi preciso. Venceu batalhas e soube passar de um lado para o outro no momento oportuno. Foi um líder. E é esta figura que permanecerá.

A morte de ACM é a concretização de que os pilares da política estão ruindo. Enterrar as atitudes manipuladoras de ACM e sua certeza de que o dinheiro poderia comprar tudo (e todos) poderia ser um alívio, mas não é. Entre raríssimas exceções, ficam apenas os aprendizes que tomaram para si tudo aquilo pelo qual o "Senador Antônio Carlos Magalhães" não será lembrado.

Enterrar o velho coronel, somado a tudo pelo qual o Brasil vem passando, é um aviso: o país está morrendo aos poucos. A saúde pública está em estado terminal. A segurança mete medo. As professoras temem os alunos, e os pais, medo da doutrina política nas escolas. As rodovias, um perigo tão grande quanto o transporte aéreo e o governo mais sujo do que nunca, ao ponto de comemorar uma suposta isenção na tragédia com o Airbus da TAM.

É, povo brasileiro... nós nunca estivemos tão no limbo quanto hoje. Tanto, que ainda vamos sentir saudades do jeito ACM de ser.

quinta-feira, julho 19, 2007

Novas lições, velhas tristezas

A aviação, que fez com que tantas crianças e jovens sonhassem em se tornar pilotos e aeromoças, no Brasil é, hoje, sinônimo de medo, revolta, sofrimento e decepção. O sonho transformou-se em pesadelo em menos de dez meses, período em que dois acidentes mataram quase quatrocentas pessoas. Destruiu famílias inteiras, forçou o brasileiro comum a aprender, por exemplo, que um transponder não pode ser desligado e que uma pista de pousos e decolagens não deve ser liberada sem o grooving.

Estas novas lições jamais serão esquecidas, pelo menos por nós, cidadãos comuns que não pilotamos, não construímos pistas mas sofremos junto àqueles que perderam filhos, netos, pais, amigos, noivas, esposas...sonhos. O que, aparentemente, não aconteceu com aqueles que são responsáveis por evitar que novas tragédias acontecessem.

Uma lição antiga parece não ter sido aprendida pela própria TAM: um avião não deve voar com problemas no reverso! Esta, até nós já sabíamos, desde 1996, quando um Fokker-100 (da mesma TAM) caiu poucos minutos após a decolagem. A causa? Uma "rara combinação entre falha humana e mecânica", entre elas, defeito no reverso (que auxilia na frenagem durante o pouso). Neste caso, o reverso foi acionado durante o vôo causando a queda. Agora, a falha pode ter impossibilitado o pouso e matado mais de duzentas pessoas.

Tudo isso é assunto para investigação que, pra variar, vai levar à agonia famílias que mal conseguirão enterrar seus parentes, vítimas, provavelmente, de uma "combinação rara de vários erros". Afinal, esta também foi a conclusão da tragédia com o avião da Gol. O que impedirá que gora seja também a resposta para as duzentas vítimas do vôo 3054? "Falha mecânica e humana agravada pelo estado da pista e a chuva"... ficaremos sabendo, talvez, daqui a dez meses ou até dois anos.

Por que nós, que aprendemos as lições, vamos ter que repetir o ano? Seremos obrigados a acompanhar as degravações das caixas pretas, reconstituição do acidente, identificação dos corpos, enterros e mais enterros! Não somos obrigados a pagar pelos erros das autoridades!

Por que o governo preferiu investir quase 20 milhões de reais no embelezamento do Aeroporto de Congonhas, ao invés de garantir a segurança na pista? E da TAM que, mesmo sabendo que o Airbus havia apresentado problemas no reverso uma semana antes, nada fez, importando-se apenas em garantir mais vôos para a empresa? Por que a pista de Congonhas foi liberada antes de suas obras terminarem? Quem a liberou? Estas respostas serão meros esquivos, não convencerão e nem devolverão a vida àqueles que se foram por causa da imprudência e da ganância daqueles que deveriam cumprir o seu papel, que é o de garantir a segurança.

Penso em qual (e quando) será a nossa próxima lição... passou da hora de "eles" aprenderem algumas lições.