sexta-feira, março 09, 2007

Que povo é esse?

Protestos contra a vinda do “satã” George Bush mobilizaram as principais capitais do país. Milhares de manifestantes foram às ruas gritando e exibindo faixas e cartazes com os dizeres “FORA BUSH”, sem falar na nudez oportunista que aprimorou o discurso com “OUT” Bush de uma mulher que, com sua loirice extravagente, mais parecia americana do que tipicamente brasileira.

Em São Paulo o protesto gerou confronto entre a polícia e os manifestantes. Sabe-se lá de onde começou a pancadaria, mas o fato é que o espetáculo brasileiro reforçou a imagem de um povo medíocre política, cultural e economicamente.
Onde estavam estes manifestantes quando os Parlamentares tentaram aumentar em 91% seus já reforçados salários? Por onde andavam estes corajosos militantes durante os dois últimos anos de denúncias de corrupção, mensalões, manobras jurídicas e políticas?

Revivemos um momento político mal explicado para a grande parte da sociedade que foi a mobilização popular pré-regime militar. Jovens manipulados por um pré-conceito implantado por movimentos políticos cujos interesses nada mais são (e eram) do que seus próprios holofotes. Antes, era a implantação do comunismo disfarçado de "liberdade de expressão". Hoje, na simples exposição da mídia.
São contra um acordo comercial entre o Brasil e os Estados Unidos na troca de tecnologia da produção do Etanol, a mais nova estrela da nossa economia. Se Bush quer redução do preço do Etanol fornecido aos Estados Unidos e- de quebra – livrar-se da pseudo-dependência do Petróleo Venezuelano, faz parte das negociações. Nada vejo de excepcional nisso. Bush não é o responsável por décadas de submissão brasileira diante das exigências comerciais norte-americanas.

Protestar contra a guerra no Iraque é ainda mais hilário e nem perderei meu tempo – nem o seu – comentando este despertar atrasado do nosso povo que nunca está no lugar certo na hora certa.

Por mim, faria um manifesto “Fora, povo brasileiro!”

Quanto ao Etanol, a ganância de Lula em tornar-se o presidente que fará do Brasil o principal fornecedor do combustível alternativo, no mundo, terá um preço muito mais alto do que a pechincha de Bush.
O Ministério da Agricultura prevê um aumento de 10% na produção de etanol, na safra de 2006/2007 e dobrar a produção até 2012, para garantir o abastecimento dos mercados da Europa e dos Estados Unidos. Ótimo para a economia do país! Péssimo para os cortadores de cana, considerados escravos por todas as instituições ligadas ao setor. Denúncia antiga (e nunca levada em conta) que já chegou ao conhecimento do exterior. Hoje, o jornal britânico The Guardian publicou o seguinte artigo, cujo título resume-se a: 'Escravos' sustentam 'boom' do etanol no Brasil (Brazil's ethanol slaves: 200,000 migrant sugar cutters who prop up renewable energy boom)

E não é exagero. Apenas no ano passado, o trabalho pesado matou (por exaustão) 17 cortadores de cana, segundo a Pastoral do Migrante ligada à igreja católica. As condições de trabalho destes “escravos” estão mais detalhadas no site: http://www.pastoraldomigrante.org.br/artigo01.html. Mas, em resumo, atualmente um único cortador realiza as seguintes atividades todos os dias (sem feriado ou fim de semana livres):

· Caminha 8.800 metros;
· Despende 366.300 golpes de podão;
· Carrega 12 toneladas de cana em montes de 15 kg. em média cada um, portanto, ele faz 800 trajetos levando 15Kg. nos braços por uma distância de 1,5 a 3 metros;
· Faz aproximadamente 36.630 flexões de perna para golpear a cana;
· Perde, em média 8 litros de água por dia, por realizar toda esta atividade sob sol forte do interior de São Paulo, sob os efeitos da poeira, da fuligem expelida pela cana queimada, trajando uma indumentária que o protege, da cana, mas aumenta a temperatura corporal.

Com o Brasil prestes a se tornar o rei do Etanol, será que esta triste realidade de trabalho canavial mudará? Será que os milhões de reais vindos do fornecimento do Etanol chegará, de alguma maneira, às mãos destes trabalhadores que, hoje, recebem o farto salário de R$ 413,00 por mês?

Bom, para quem acredita que o PT nunca perdeu o foco de tornar o Brasil no socialismo disfarçado, vale a pena lembrar que a China anunciou a criação de um campo socialista de trabalho para incrementar o PIB daquele país. Entenda, trabalho escravo em nome da economia.

É... ainda bem que os mais de 10 mil processos por improbidade administrativa não estão à beira do arquivamento, nem o salário dos juízes estaduais bateu o teto dos R$ 24,5 mil, nem o violência matou mais de 55 mil brasileiros no ano passado no Brasil e, muito menos, que o país investiu mais no transporte de prisioneiros do que na segurança pública, entre outras tantas notícias que não cabem ao nosso país.
Realmente, nunca tivemos motivo para protestar, exceto pela vinda de George Bush ao Brasil.
(interessante o comentário de "Ruy" a quem redigi uma resposta também dentro dos comentários)

12 comentários:

gary198378 disse...

hello,I recommend to you the best browser in history,I really loved it,I hope you may want to download and try. thank you.

Júnia Turra disse...

Érika... nao acredito!
Pois era exatamente isto que eu estava pensando, exatamente!, para escrever na minha coluna: Bush veio fazer propostas econômicas, mas nao é o nosso presidente, nao é o responsável pela lama onde o povo brasileiro chafurda todo santo dia. O índio boliviano, com apoio do "Queixada" venezuelano, deu o tombo no Brasil com esta história do gás (patrocinada por FHC), e o "pseudo-novo-Fidel" (coitado do Fidel!) está construindo suas bases no Uruguay e Paraguay (bem espanholado mesmo), para conseguir pressionar e subjugar Argentina e Brasil. Olha, é lamentável. Como diz o jornalista Diniz Neto: "Deus salve as almas!" Mas se forem da América (da Groenlândia à Patagônia), já nao tem mais jeito. Quem sabe num outro mundo ou planeta...
That's unbelievable!!!
Mais uma vez parabéns pelo texto brilhante, pela lucidez e por colocar o dedo no ponto exato da ferida. Bjoooo

Zé Elias disse...

Érika,
o que você fala é só uma pontinha do iceberg... E ô pontinha grande, sô!
Falar do iceberg inteiro é um começo de convite ao suicídio.

Anônimo disse...

Érika,
Ontem,na Catedral da Sé,se tivesse tido espaço para dar entrevista teria dito justamente sobre a manifestação contra o Bush que ocorreu durante a estada rápida dele aqui no Brasil. Concordo plenamente com você o que está acontecendo com o povo brasileiro? Dos jovens estudantes? Saíram às ruas para este protesto contra o Bush, e outros tantos problemas existentes aqui neste país como: corrupção, escândalos mais esacândalos deste desgoverno, compra do dossiê, pobreza, o desemprego e muitos outros, e principalmente quanto à nossa segurança,quanto ao nosso direito de ir e vir violado? O nosso direito à vida,onde está? E quanto ao discurso do Lula, que a violência é uma sobrevivência para "eles"? E , então se é sobrevivência para eles, nós poderemos trucidar e matar e fazer o mesmoa para a nossa sobrevivência? Realmente é inadimissível o que acontece. E esses que saíram às ruas do Brasil protestar não fazem o mesmo? Por quê??????

ruy disse...

Por mim, faria um manifesto “Fora, povo brasileiro!”

Parabéns, não vejo frase, mais preconceituosa, imoral, de uma mediocridade sem par..., perguntaria ao grande pensador: " o que esta fazendo aqui no Brasil?, vai embora..."
Deixa ele para as pessoas que ainda acreditam e lutam por manter suas familias, com o pouco de honestidade, e honradez, e contra ignorantes, entreguistas, pseudo intelectuais, que vê sempre nos pobres,pretos,nordestinos, desdentados, "um horror" para demonstrar lá fora..., mas esqueçem que graças a essa conduta elitista sem senso, que o pais está como está.As lutas estudantis foram sim ,um marco, as lutas operárias sim foram importantes, se hoje sua mãe tem um lugar para sentar num coletivo,ou seu pai teve melhoras nos direitos trabalhista, sua irmã direito a licença natalidade, deve-se em parte importante, a essas lutas...
Sempre penso que atras de comentários infelizes como estes...
tem um "amigo do rei" irado...
Alguém que nao suporta ver o pais como ele infelizmente é,mas não quer deixar de tirar a sua vantagem pessoal..., de levar vantagem sempre, a qualquer preço, subornando, compactuando, e por ai vai...
Digo sim, FORA PRECONCEITUOSOS, somos o que podemos, e se o somos a culpa é de pessoas como voces..., e claro de todos nós..., pois nessa hora, ninguem deixa te ter responsabilidade, pelo que estamos colhendo, somos uma nação dividida , 4% rico x 96% pobre+entreguistas, com uma distribuição de renda perversa, só isso demonstraria o porque das coisas,mas tenho muita esperança que isso está mudando, esses preconceitos o provam...
Acredito em toda manifestação popular, pois é dela que se muda a história de uma nação, qualquer pessoa pessoa que conhece a história do mundo sabe disso...
Fora pseudo-moralizadores.., que não exergam um palmo a frente do nariz...(com seus preconceitos de m...que adianta ser preconceituoso num país de desdentados, FORA!)
PS: Não sou Petista nem Comunista, ou qualquer coisa que justifique os imbécis..., sou um brasileiro que sabe,e luta por mudanças.

Ruy

Paulo Pavesi disse...

Érika. Parabéns pelo seu texto, que como sempre é uma benção à todos nós.

Que venha Bush e acabe de vez com este governinho de esquerda que está ai.

Que venha Bush e acaba com este ditadorzinho que é Hugo Chàvez.

Algumas pessoas dizem que nossos pais devem a liberdade que têm aos terroristas do passado. Ora, pessoas assim precisam conhecer melhor a história do país em que vivem. Temos liberdade graças a abertura concedida pelo governo militar e não pelos assaltos à banco, roubo a mão armada e sequestros de embaixadores. Aliás, se tivemos uma ditadura militar, ela só foi instalada por causa da baderna destes socialistas.

É triste ver que idiotas "nacionalistas" que estão mamando neste governo corrupto e cheio de ladrões, têm a capacidade de escrever besteiras nos blogs dos outros.

Érika. Sou seu fã incondicional, e mais uma vez seu texto foi nada menos que brilhante e fiel a realidade.

Viva a direita militar!
Vamos pôr fim ao solicialismo barato que estão tentando impôr neste paisinho de 3o mundo.

A propósito, para aqueles que acham que devemos ir embora, estamos aceitando as passagens.

Será um prazer!!
Beijo lindinha!

Junia disse...

"É Ruy, hein?" Comentário lamentável e sem consistência, só palavras de ordem, no estilo bate-estaca.
Quando nao se entende os conceitos: o que é elite, o que é proletariado, o que é direito e dever, cidadania, crime, corrupcao, Língua Portuguesa, nao é possível o debate, há apenas um vazio unilateral. Me lembrei agora de uma frase: "religiao sem amor é terrorismo. Política sem amor é corrupcao e ditadura". Portanto, o Ruy (com "y", letra do alfabeto inglês, digo "americano"), para ser clara, deveria pedir para ser adotado pelo Lula. Afinal de contas, a Primeira Dama agora tem cidadania italiana e o nosso caro presidente, can have this, too! Parece que quem quer deixar o Brasil nao é vc, Érika, mas a "elite". E avisa ao tal Mr. W. Ruy para olhar dos lados: há desdentado, esfomeado, humilhado preto, branco, amarelo, pardo, homem, mulher, crianca, gay - há miserável de todas as cores, em todo o país e para todos os gostos.

Érika Bento Gonçalves disse...

Ao Ruy, ele vem a confirmar uma triste estatística: “...38% dos brasileiros estão no Nível Básico de alfabetismo. Estes conseguem ler um texto curto, localizando uma informação explícita ou que exija uma pequena inferência.” (Fonte: Indicador de Alfabetismo Funcional – 2005 http://www.ipm.org.br/ipmb_pagina.php?mpg=4.02.00.02.00&oin=5&idn=1&ver=por )

Entre os outros 62% da população estão os analfabetos completos e os que estão no Nível Rudimentar “ou seja, conseguem ler títulos ou frases, localizando uma informação bem explícita.”

Ruy, claro, não é um analfabeto completo. Conseguiu juntar letras, formar palavras e frases mas infelizmente, ao meu ver, frases que, quando juntas, não fazem sentido sendo elas um comentário ao texto “QUE POVO É ESSE???”.

Certamente o caro teve dificuldade de entendimento, pois em momento algum fui contra manifestações. Contrário disso reclamo da falta de movimentação deste povo diante aos problemas nacionais mais sérios do que a vinda de Bush.

Quais são eles? Bastaria ler com um pouco mais de atenção ao texto.

Em momento algum mencionei que as manifestações ant- Bush representavam um povo “pobres,pretos,nordestinos, desdentados, "um horror" para demonstrar lá fora...”. Até porque, não vi na avenida Paulista nenhuma destas pessoas. Vi sim, um carro de som muito bem equipado acompanhado de militantes, estudantes e pessoas muito bem estimuladas (ou instruídas no combate à economia norte-americana).

Se o caro leitor chegou ao fim do meu texto, fiz questão de mostrar-me, inclusive, extremamente preocupada com os trabalhadores dos canaviais que têm ali seu único meio de sobrevivência e, exatamente por isso, são explorados à exaustão. Se isso, caro, Ruy, for preconceito, peço que se informe melhor sobre o significado desta e de outras palavras comumente usadas por pessoas com discursos vazios como o seu.

Anti-americanismo não cabe mais no Brasil do século XXI. O que cabe ao nosso país neste momento é a conscientização de que precisamos de mais manifestações. Porém, manifestações que realmente nos sejam úteis, como exigir das autoridades uma polícia menos corrupta e melhor equipada que possa combater o crime organizado. Manifestações que parem a avenida Paulista e todas as avenidas deste país para que pessoas não mais morram em filas de postos de saúde à espera de atendimento e tantas outras causas mais condizentes à realidade do povo brasileiro. Um povo que eu amo talvez mais do que você que se diz tão sábio e que luta por mudanças. O povo que eu gostaria de ver fora deste país, não é o povo pobre que aliás, foi o caro leitor que fez questão de dividir entre “4% rico x 96% pobre+entreguistas”. A este povo, o meu respeito, pois são pessoas que estavam (provavelmente no momento da passeata) na fila de um emprego, trabalhando para garantir o sustento da família, pegando a terceira condução de volta para casa, contando as moedas guardadas numa latinha sobre a geladeira para comprar o leite ou o arroz do jantar.

Caro Ruy. Infelizmente, falamos de pontos de vistas diferentes. Eu quero um país melhor para mim, para o senhor, para meus filhos e todo o povo brasileiro que dia-a-dia tem motivos de sobra para manifestar-se contra tudo o que está aí.

Lula disse “quem não gosta do Brasil que vá embora”. O mesmo discurso seu. Só não fui ainda por falta de dinheiro e, por ainda restar em mim, um pouco de idealismo: ver um país belo como o nosso com um povo vivendo com a dignidade proporcional aos impostos que pagamos.

Ruy disse...

Viva a direita militar!
Vamos pôr fim ao solicialismo barato que estão tentando impôr neste paisinho de 3o mundo.

Realmente falta conhecer a história, não a dos vencedores...Paulo..., mas isso não vai te mudar não é?
Continua o preconceito..., acho que tenho nao pouco estudo, o que tenho é pouca paciência em ler textos assim, que aliás adentraram a minha caixa de e-mail, nao sei por quem! ,acho que sua luta inglória contra as máfias de doações de orgãos (fui pesquisar) é sim um gesto bom, mas te alerto, se te interessa (claro que não) não é desse governo ou do anterior esse problema, nunca vi, em minhas andanças gente rica em filas de espera de orgãos voce viu? e vejo tanta gente aqui, tão intelectualizada, discutindo conceitos e até o "y", parabens..., voces estão certos... têm mesmo que se sentir mal num pais como o nosso.Esse deve ser o castigo de Deus aos soberbos...

A ti, Bento Gonçalves, lembro das lutas de seus ancestrais, por mudanças na prática, e até concordamos com as necessidades de manifestações expostas, penso o mesmo...o que não concordo é o discurso simplista e a visão preconceituosa, e reafirmo isso, está no seu texto..., quanto a sua "preocupação" para com os escravos da cana não te preocupes com isso não, eles virão para as grandes cidades em breve,para a criminalidade talvez, infelizmente, pois a colheitas claro,serão mecanizadas, porque dá mais lucros,rapidez,e não necessita distribuir renda,(caracteristicas do Senhores de Engenhos, as elites pensantes de sempre, lembra?).
Espero que seu pouco de idealismo se transforme em um grande idealismo, e ajude sim a muda-lo (o pais) não com palavras, para os "amigos", parabenizar nos blogs da vida, mas de ações verdadeiras...
Quanto ao Lula nao sabia que já disse isso, é um fantoche das pseudo-elites..., não pontuo minhas ações nele ou qualquer governante.
De qualquer forma consegui motiva-los.Abraço a todos...e menos preconceitos contra qualquer tipo de manifestação,umas são mais utéis do que outras,porém todas são expressões democráticas. Mas por via das dúvidas, vão guardando dinheiro na latinha emcima da geladeira, para comprar a passagem... (rsss),acho que não vão mudar mesmo...

Érika Bento Gonçalves disse...

Ruy, finalmente um texto seu com um pouco mais de conteúdo e era isso o que esperava diante de minhas observações/provocações.

Minha "preocupação" com os catadores de cana-de-açúcar cai, entre outras, no ponto em que vc citou.

Os investimentos não irão para melhorar a qualidade de vida deles, nem seus salários, muito menos em melhores condições de trabalho que possam garantir uma produção ainda maior (como se já não fosse grande demais) ou aumentar o emprego. Citei isso em meu texto anterior.

Mas sim, como vc bem falou, em máquinas e investimentos tecnológicos que proporcionarão uma agilidade necessária para garantir o primeiro lugar na produção do Etanol.

Concordamos, enfim, em dois pontos: 1- manifestações sim, mesmo que eu discorde de manifestações pouco práticas ou proveitosas ao nosso povo; 2- retorno dos investimentos àqueles que o merecem.

Sinto o mesmo temor que vc quanto ao possível desemprego que esta nova tecnologia de engenho causará. Sem condições para retornar às suas origens (nordestinas, na grande maioria - e não é preconceito meu, faz parte do estudo que citei no texto anterior), serão os novos moradores de rua de amanhã.

É disso que falo e critico. Não é "Fora Bush" que temos que gritar, mas sim, "Fora, POVO BRASILEIRO" aquele povo que não enxerga um palmo a frente do nariz (palavras suas). E, deste povo, realmente não faço parte (diferente do que vc citou no primeiro comentário).

Enxergo neste povo aqueles que estavam na passeata contra Bush mas não se manifestaram quando o filho de Lula recebeu milhões da Telemar, ou a ONG criada por Lorenzetti (o churrasqueiro) que, na realidade era da filha do presidente, recebeu 20 milhões de reais e fechou meses depois. O povo que critico é aquele que, diante de tantas situações, não foi às ruas pedir o impeachement de Lula, mas pintaram seus rostos contra Collor, que deu muito menos motivos para isso.

Quanto à palavras e pouca ação, tento alertar, em minhas poucas palavras e atos (não em manifestações, mas usando a ferramenta que tenho em mãos, que é o meu trabalho). Questiono autoridades, divulgo estudos para fazer o povo pensar mas este povo, que pensa somente no imediatismo não tem paciência para ler ou, como mostra a pesquisa, quando lê, não entende.

Em resumo: gostaria de ver gente que vai às ruas a cada escândalo político, a cada medida aprovada contra o nosso povo, a cada centavo desviado dos nossos impostos e... para não sair do rumo, a cada centavo investido que não seja para melhorar a vida dos catadores de cana-de-açúcar.

Debates são ótimos para nos abrir a mente e nos fazer aprender, desde que acrescente informações. Agressões, por agressões, todos têm direito de fazer mas não soma nada.

Obrigada pela sua participação e volte sempre!

PS: tb não sei pq os textos caem em sua caixa de email, uma vez que nem sei quem vc é, muito menos qual o seu endereço eletrônico. São os mistérios da internet...

PS2: quanto ao socialismo, realmente não o quero implantado em nosso país. Foi-se o tempo em que eu acreditava que este sistema era sinônimo de igualdade e liberdade. Hj sei que é escravidão, falta de respeito e vida digna.

Ruy disse...

Seu instrumento de trabalho, me convence de que podes ajudar a mudar isso, na década de 60, não terias essa possibilidade, embora alguns aqui sejam a favor da volta ao militarismo(isto sim, seria um retrocesso vergonhoso, pois participei dos movimentos estudantis da epóca, e não via nesses movimentos senão a busca pela liberdade de expressão, a busca por melhorias sociais e politicas(lembra dos 12% para a educação), e claro houve excessos e manipulações, e desde sempre não houve isso na politíca das elites?...), Acho então que podes ajudar nessas convocações populares que citas ,não através de blogs ( não conheço outros meios seus), pois para mim blogs são coisas entre amigos... de mesmos pensamentos..., não modificam nada no real...
Quanto ao socialismo, a evolução cultural e politica, demostra que não servem mais para o seculo XXI, e que somente as Teorias Cooperativistas contidas nele, podem de alguma forma assegurar às classes setoriais, algum poder de barganha nas disputas comerciais internas e mundiais.., fora disso será sempre capitalismo selvagem...
Enfim, nossa visão de manifestações ,se completam, e divergem quanto a o que vale ou não vale manifestar, coisa pequena não é mesmo??..., digo então "Fora os que querem asfixiar a livre expressão, os que querem ou permitem, que o Brasil seja governado por pseudo-elites inescrupulosas, que mantém os "amigos do rei", sempre atentos a qualquer expressão popular..., para criticar um governo fraco, e cheios de mazelas iguais a todos os outros que conheci, que não diferem para mim em nada..., somente que os anteriores não apareciam na mídia (ou eram acertados para não aparecer) como agora (reflexos de uma evolução social e politica do Brasil graças a democracia..), se este partido que veio da base popular, hoje se tornou o que é, deve ele a massa politica de sempre... isso parece que todos se esqueçem...não entendo porque?.
Acho que um impeachement de Lula , devia ser orquestrado, que os Juizes Federais,Estaduais deveriam prestar conta de suas "amiguelancias", nos processos contra corruptos de todos os portes e estirpes..., isso o Paulo deveria ajudar..., ai está para mim uma chaga grande e dolorosa... que mantém os criminosos de colarinho branco, encostados nas mamas de "QUALQUER" Governo..., e que sangra a nação como um todo, com sua impunidade e fere o brio de pessoas honestas e trabalhadoras como eu e voce.
Acho que deveria virar seu canhão para essa luta, e tenha certeza terias muitos iguais a mim te apoiando nessa luta..., pois ai começa todo o mal do Brasil.. ,ladrões de casaca protegendo ladrões de qualquer casaca.
Enfim, acabei gostando de escrever a ti, dentro das possibilidades que tenho, e dê uma olhada no site abaixo, são coisas como está que estou aliado no momento, com conquistas reais ..., e muitooo preconceitos..., porisso das minhas
reações.
www.mauriciopestana.com.br

Stefan disse...

Uma viagem que reacende o antiimperialismo

Bush passou pela América Latina. Nas ruas, os protestos deram o tom: Em São Paulo, mais de 10 mil manifestantes. No Rio, duas passeatas que terminaram no consulado dos EUA, milhares nas ruas da Colômbia apesar de toda a repressão, milhares no México e na Guatemala. E, para piorar a situação, nenhum dos Presidentes visitados quis assumir a pecha de “anti-Chávez” e ainda teve que ouvir dos “mais amigos” que a atual política dos EUA não dá: Lula pede que se acabe a barreira para o álcool (etanol) brasileiro e o Presidente do México diz que é melhor construir estradas que muros e que o problema do tráfico de drogas no México é por culpa do “grande mercado consumidor”, referindo-se aos EUA.

Mas as dificuldades de Bush, as dificuldades do imperialismo norte-americano, vão além disso: ele não conseguiu impor a sua “nova ordem” no Iraque e Oriente Médio e a economia demonstra os sinais de que a crise é maior que parece: as bolsas soluçam, bancos que concedem crédito imobiliário nos EUA quebram. E as massas sentem que podem se mobilizar, daí as revoltas, as mobilizações.

Lula diz que o PAC vai resolver tudo, que o etanol vai ser a salvação da lavoura ...e do Brasil. O protocolo assinado com Bush afirma que a iniciativa privada deve tomar a frente desse empreendimento, ou seja, coloca fora do circuito a Petrobrás e, no campo, aumentam as grandes propriedades em detrimento da pequena (que a cana é cultivada nas grandes fazendas).

Lula declara que tudo está indo bem. Bem? Talvez ele possa explicar como vai “tudo bem” para as vítimas da violência urbana que aumentam a cada dia, onde cada vez que se abrem os jornais novas tragédias são anunciadas. E as respostas que aumentam à repressão não resolvem os problemas fundamentais – educação, emprego, saúde.

No campo, as ocupações de terra são retomadas. Nas cidades, as greves (rodoviários, construção civil) começam a aparecer. É da luta dos trabalhadores na cidade e no campo que teremos a saída para esta situação.

De última hora: A Executiva do PT, que sente que os tempos não estão pra peixe, resolve adiar o congresso e modificar os critérios de representação – para se eleger um delegado ao encontro estadual duplica o número de filiados.

É uma declaração pura de medo da base. Nós, de nossa parte, continuamos o combate para associar o maior número possível ao combate para constituir uma Esquerda Marxista do PT, associando pessoas a nossa tese e construindo os Núcleos Socialistas de Base