sexta-feira, fevereiro 09, 2007

Injustiça aos porcos

A revista semanal britânica "The Economist" publicou um artigo, esta semana, entitulado "'Parliament or pigsty?" (Parlamento ou chiqueiro?). Coitados dos porcos serem comparados aos nossos legítimos representantes do legislativo... é certo que algumas semelhanças eles têm. Vamos à elas: são bebês fofinhos e quando crescem - além de viverem na lama - podem ser nocivos à saúde.


Mas dá para evitar uma teníase (ou solitária), basta evitar a carne de porco mal cozida. Agora, como evitar os males causados pelo "trabalho" dos nossos excelentíssimos deputados? O papo "acompanhe o que o seu deputado está fazendo e cobre dele a seriedade prometida" não serve mais. Além de nunca ser colocado em prática, não leva a nada. Eles sempre estarão lá e farão a mesma coisa...


A solução seria, talvez, assá-los, bem temperadinhos? Assim como não sou adepta ao leitão à pururuca (embora aprecie um lombinho assado), também não tenho tendência alguma ao canibalismo. Acho que nem mesmo Hannibal Lecter toparia jantar o cérebro de qualquer um dos nossos nobres parlamentares. É muita sujeira num prato só.


Voltando ao "The Economist", a matéria fala sobre a eleição de Chinaglia ao cargo de presidente da Câmara. Perspicaz, a revista "sugere" troca de favores na vitória à presidência da casa, no comentário "Parochial back-scratching trumped ethics". Algo como "O toma-lá-dá-cá paroquiano venceu a ética".


Assim como no meu texto anterior "The truth is out there", eles conhecem muito bem a nossa realidade.


Mesmo assim, insisto... brasileiros e brasileiras. Ainda há esperança. Clodovil está lá! Pelo menos, na lama certamente ele não vive... não faz o "estilo" dele. Resumindo seu discurso, que foi da ingenuidade à ironia, o deputado-estilista-comunicador-apresentador prometeu colocar a faxina em dia.

Haja água para tanta lama!

3 comentários:

Júnia Turra disse...

Érika... eu acho que somos gêmeas univitelinas, rs... Vc acredita que ontem li o artigo na "The Economist" e pensei: "amanha vou escrever sobre isto". E aí entro na Net e a primeira coisa que vejo - com grande alegria!!! - é a sua mensagem e com o link para mais um texto seu (e aí a alegria aumentoooou). Assino embaixo, sem tirar nem por. Coitado dos porquinhos! Foram gravemente ofendidos e também achei brilhante a sua análise: o texto foi da ingenuidade à ironia. Como diria a minha avó: "come um saquinho de sal com tal pessoa" (porque aí vc terá tempo para conhecê-la o suficiente). Coitado dos gringos, nao podem imaginar o que é este inferno. E depois falam do filme "Turistas". Que bobagem, aqui nesta Ilíada de Homero, em pleno século XXI, podemos assistir de cadeira um menino de 6 anos ser arrastado cruelmente pelas ruas por dois coitadinhos "excluídos sociais". Pensei em chamá-los de animais, mas ... seguindo o seu exemplo mudei de idéia, acho que eles fazem parte de uma espécie peconhenta que nao existe entre os seres irracionais.
Saudades e parabéns por mais um texto que lava a alma desta agonia de ser brasileiro... bjo...

jairo disse...

Meu admirável Platão (428-348 a.C.) já falava da mentira como forma de política "democrática" na Pólis. Ultimamente andei pesquisando a necessidade humana de acreditar na primeira explicação (exacerbada pela atualidade da net) e topei com o pai dos historiadores, Tucídides, "o que esteve lá" (cerca de 400 a.C.), consulte o site português semiramis . Finalmente encontrei uma tese de doutorado multidisciplinar que aborda o holograma social, na Espanha, mas me falta tempo para contatar o professor da Universidade de lá.
Uma abordagem ponderada sobre a função da mentira e como ela corrompe o meio político está no seguinte site de psicologia http://www.celpcyro.org.br/funcaoMentira.htm
Sobre os porquinhos, na fazenda onde morei, eles eram mais limpos que os frangos! banho diário e chiqueiro nas normas da Emater! Mesmo assim, cuidado com a carne do porco e nem por causa dos parasitas: isso é uma looooonga história, tudo a ver com saúde pessoal.

André Pavesi disse...

Nenhum Palmeirense merece ler isso... sacanagem !!! Porco não é nada disso, são todos mesmo safados, mas porco não ! Porco só no Palestra !!!! Poooooorrrcoooooooo!!!!
bjs