sábado, julho 01, 2006

O que fazer com as bandeiras?

Pronto. Aconteceu o que a maioria dos brasilieros não queria. O Brasil está fora da Copa do Mundo. Para empurrar a nossa seleção rumo ao hexa, vestiram o verde e amarelo, penduraram bandeiras nas janelas de suas casas, nos prédios comerciais e até nas antenas dos carros! Tudo isso, claro, para a alegria do comércio formal e informal.
O brasiliero viu o sonho do hexa desaparecer nos pés de Zidane (que, às vésperas de dizer adeus aos gramados, deu um show de determinação e técnica, coisa que nenhum dos jogadores da seleção demonstrou) seguido de um toque preciso de Thierry Henry. O um a zero calou a torcida brasileira, derramou lágrimas por todo o país e obrigou o brasileiro a repensar o sonho do hexa.
O que eu quero saber agora é: será que este povo, que exibiu uma exacerbada paixão pelo país, continuará com o delírio patriótico nos dias seguintes à derrota na Alemanha? Para onde vão as toneladas de bandeiras espalhadas pelo país?
Antes de colocá-las no fundo de uma gaveta ou, para aqueles fanáticos decepcionados que pensam em jogá-las no lixo, apresento algumas sugestões. Que tal usar este mesmo patriotismo para acompanhar as eleições deste ano? Que tal usar a bandeira para lembrar-se de que se vive neste país durante todos os meses do ano, por décadas e décadas a fio, e não apenas de quatro em quatro anos? Ou, talvez, manter a tradição de ficar à frente da tv, mas desta vez, para acompanhar uma votação na CâmaraFederal ou no Senado (depois do recesso)? E quem sabe até, juntar-se aos milhares que clamam por justiça num país onde o poder judiciário se vende por um reajuste salarial, mesmo que contrário à lei eleitoral.
Ah, mas isso tudo é muito chato, não é? É diferente de torcer pelo país durante uma partida de futebol. Nada disso que sugeri é divertido, reúne amigos e parentes para um churrasco ou uma cervejada. Nada disso lhe proporciona ser dispensado mais cedo do trabalho.
É verdade. O futebol é a alegria que a política não oferece. Pela seleção brasileira, vale a pena qualquer coisa.
Porém, enquanto você lê este artigo e amarga comentários sobre a Copa ainda por semanas seguidas e tenta reerguer a cabeça, muitos dos "nossos" heróis, nem sentirão o peso deste sonho não realizado. Eles, talvez, nem passarão pela terrinha tupiniquim, já que, dos vinte e três convocados, somente três jogam em clubes brasileiros.
Pois é. Enquanto milhões ainda pensam no que fazer com as bandeiras, vinte dos "nossos" ex-futuros hexa campeões voltarão para suas vidas milionárias, em solo etrangeiro, à espera de 2010. Quem sabe a CBF paga novamente o salário deles para um turismo luxuoso na África do Sul, sede da próxima Copa?
Em resumo, não vejo tanta diferença assim entre política e futebol. Enquanto milhões esperam que eles apenas façam o trabalho pelo qual são muito bem pagos, eles, no final das contas, ficam com os lucros e nós, com as decepções.
PS: vale a pena lembrar que os "nossos" jogadores devem tirar agora alguns dias de férias antes de voltarem aos clubes, porque lá, assim como cá, o futebol pára até o final da Copa do Mundo.

6 comentários:

Júnia Turra disse...

O brasileiro já poderia aproveitar o ensejo e treinar: Foraaaaaaa! Bandeiras, manifestac~ao. O técnico argentino já pediu as contas e o nosso vai continuar? E olha que a Argentina jogou bola. Parreira e Cia. Ltda. apenas lucraram, lucraram, lucraram. Os treinos e amistosos n~ao apresentaram qualquer futebol, mas encheu os bolsos da equipe. O patrocinador vendeu seu produto como água. O que menos contava era o futebol e o torcedor. O torcedor saiu decepcionado de todas as exibic~oes. Mas para que estes superstars estavam ali? Mesma pergunta que cabe na Política: por quê Lula da Silva, companheiros e agregados exercem mandatos, se o povo e a cidadania é o que menos importa? Se o lucro e o enriquecimento pessoal e a permanência no poder é o que interessa? Se há corrupc~ao e desonestidade? Treinem brasileiros: N~ao comprem nada da Nike, porque o Brasil n~ao "Joga Bonito". E o técnico Carlos Alberto Parreira e Mário Sérgio Lobo Gagallo, há muito deixaram de "entender" de futebol. Entendem de grana nas contas bancárias. O negócio é o lucro! Assim, meu povo, vamos exigir a saída desta comiss~ao técnica; vamos comprar produtos de outras marcas e vamos fazer campanha para que corruptos n~ao se reelejam. Esporte é um bom caminho para treinar e assim aprender a exercer a plena cidadania.

Júnia Turra disse...

Érika, quando um atleta fora de forma se apresenta e ainda é escalado continuamente; quando os superstars n~ao cantam sequer o hino, quando a imprensa presente está vendo tudo isto: a falta de atenc~ao, a grosseria com o torcedor que espera para vê-los e é maltratado. Quando a imprensa é testemunha de que eles só entram no ônibus para fazera a foto e depois v~ao embora em carros com batedores para evitar a "chatice do torcedor", e esta imprensa n~ao denuncia, a coisa acaba deste jeito. MInha cara: eles n~ao jogaram porque o objetivo deles era $$$. Est~ao mais ricos, o povo mais pobre e com cara de mais bobo! O brasileiro poderia era aproveitar o ensejo e treinar: Foraaaaaaa! Bandeiras, manifestac~ao. O técnico argentino já pediu as contas e o nosso vai continuar? E olha que a Argentina jogou bola. Parreira e Cia. Ltda. apenas lucraram, lucraram, lucraram. Os treinos e amistosos n~ao apresentaram qualquer futebol, mas encheram os bolsos da equipe. O patrocinador vendeu seu produto como água. O que menos contava era o futebol e o torcedor. O torcedor saiu decepcionado de todas as exibic~oes. Mas para que estes superstars estavam ali? Mesma pergunta que cabe na Política: por quê Lula da Silva, companheiros e agregados exercem mandatos, se o povo e a cidadania é o que menos importa? Se o lucro e o enriquecimento pessoal e a permanência no poder é o que interessa? Se há corrupc~ao e desonestidade? Treinem brasileiros: N~ao comprem nada da Nike, porque o Brasil n~ao "Joga Bonito". E o técnico Carlos Alberto Parreira e Mário Sérgio Lobo Gagallo, há muito deixaram de "entender" de futebol. Entendem de grana nas contas bancárias. O negócio é o lucro! Assim, meu povo, vamos exigir a saída desta comiss~ao técnica; vamos comprar produtos de outras marcas e vamos fazer campanha para que corruptos n~ao se reelejam. Esporte é um bom caminho para treinar e assim aprender a exercer a plena cidadania.

Aline F. disse...

Olá Érika, tudo bem?! Adorei o texto! Concordo plenamente com ele! Um beijão

Marcelo Zanini disse...

Concordo em gênero, número e grau com seus comentários sobre a derrota brasileira. Aliás, pensei a mesma coisa. O que será do futuro? Será que o brasileiro já está com esta corda toda, a mil e tão patriota, para as próximas eleições. Infelizente, é mais provável que não!!! Pão e circo é o que conta neste país. Mais uma vez: INFELIZMENTE!
Bj,
Marcelo Zanini

Dila Pereira disse...

É.. a "febre acaba" e todos se esquecem das bandeiras...
algumas serão engavetadas com certeza, e outras irão para o lixo.

A moda verde-amarela já deu lugar à azul e branca nas lojas de esporte, e à todo arco-iris da moda fashion nos shoppings...

Luto no futebol brasileiro ?? Quem sabe sobra tempo agora pra gente ouvir outras noticias no jornal, não é ??

É uma pena mesmo... Que "bandeiras" ainda não sejam levantadas nos assuntos sérios, como a saúde, a política e a educação como acontece no futebol.
infelizmente, cenas de uma vida real.

Dila Pereira disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.